Terça-feira, 7 de Outubro de 2008

Ayaan Hirsi Ali

"People ask me if I have some kind of death wish, to keep saying the things I do. The answer is no: I would like to keep living. However, some things must be said, and there are times when silence becomes an accomplice to injustice."

Mais aqui.

Secções: ,
publicado por Jorge A. às 23:46
link do post | comentar
Sábado, 24 de Março de 2007

Submissão?

"Show me just what Muhammad brought that was new and there you will find things only evil and inhuman, such as his command to spread by the sword the faith he preached."

O filme 300 tem sido alvo das mais diversas criticas. Ora são os que não gostam do filme, porque é simplesmente mau. Ora porque é demasiado violento. Ora porque é racista. Ora porque é uma ofensa ao Irão.

Para mim o filme é bom, é muito bom. O filme vale pela forma como passa para o ecrã uma história que espera entreter o espectador, com um panorama visual marcadamente arrojado e diferente, e que capta-nos não só por isso, mas também pelos diálogos sempre geniais nas obras de B.D. de Frank Miller.

Ao mesmo tempo remete-nos para a história onde Frank Miller foi buscar a inspiração. A batalha de Thermopylae. Nesta, 300 espartanos com a ajuda de de mais 6700 soldados fizeram face ao poderoso exército de Xerxes I da Pérsia. Um exército de 7 mil soldados assustou um exército que, possivelmente, teria entre 100 mil a 500 mil soldados. No final, os 300 espartanos morreram, mas conseguiram causar uma baixa no exército Persa de cerca de 20 mil soldados, e mais importante do que isso, impediram a progressão Persa por 3 dias, dando a possibilidade às forças gregas de se organizarem e melhor prepararem-se para a batalha decisiva.

A batalha constitui um marco que simboliza o fim das pretensões persas à conquista da Europa, e simbolizará desta forma também, a sobrevivência da civilização ocidental que hoje conhecemos. Claro, que para a história, mais do que a vitória dos espartanos, do que nos recordamos é da superioridade intelectual dos cidadãos de Atenas. Os filósofos e lover-boys, como são apelidados no filme pelo rei Leonidas. Tendemos sempre a esquecer que, em grande parte, foi a sociedade militarizada de Esparta que nos garantiu a cultura grega de que hoje tão orgulhosamente nos dizemos descendentes. Hoje em dia voltamos a travar essa batalha, não me parece é que existam por aí muitos espartanos na Europa para fazer face aos avanços dos neopersas (uma palavra que acabei de inventar).

Os iranianos estão chateados. Pois então não haviam de estar. Xerxes I é retratado no filme como alguém que se considera um Deus. Um Deus generoso, cujo único pedido que exige aos seus súbditos é que se submetam à sua vontade. Pois bem, Islão significa "submissão (voluntária e incondicional à vontade de Deus)". Acho que estamos conversados sobre outro assunto que o filme retrata.
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 15:25
link do post | comentar
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Mais sobre mim

Contacto

jorgeassuncao@europe.com

Subscrever feeds

Pesquisar neste blog

Links

Arquivos

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Secções

desporto(383)

politica nacional(373)

cinema(291)

economia(191)

música(136)

ténis(132)

humor(131)

futebol(130)

eleições eua(118)

estados unidos(115)

portugal(115)

blogs(109)

miúdas giras(93)

jornalismo(88)

politica internacional(87)

governo(79)

televisão(74)

blogosfera(69)

oscares(68)

pessoal(55)

todas as tags

blogs SAPO