Domingo, 23 de Agosto de 2009

Corrupção

A ler este excelente artigo do WSJ sobre a Rússia: One of the major obstacles to conducting business in Russia is the all-pervasive corruption. Because the government plays such an immense role in the country's economy, controlling some of its most important sectors, little can be done without bribing officials. A recent survey by Russia's Ministry of the Interior revealed, without any apparent embarrassment, that the average amount of a bribe this year has nearly tripled compared to the previous year, amounting to more than 27,000 rubles or nearly $1,000. To make matters worse, businesses cannot rely on courts to settle their claims and disputes, and in extreme cases resort to arbitration.

 

 

O que me fez lembrar este artigo da Heritage sobre a corrupção e as suas causas: To fight corruption and informality, it is essential to understand that corruption is a symptom--of overregulation, lack of rule of law, a large public sector--not the root of the problem. The perceived problem is unethical/corrupt behavior of the private sector, which leads the government to press more on private-sector activities. The real problem is the government action/regulations causing undesired behavior of the private sector. The optimal solution would be to eliminate burdensome regulations so that unethical behavior does not occur.

 

Quanto maior regulação, maior o peso do sector público e maior a incapacidade da justiça, maior a corrupção esperada. Afinal, o que é o Freeport?

publicado por Jorge Assunção às 11:31
link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 3 de Agosto de 2009

"Rouba, mas faz"

Isaltino Morais condenado a sete anos de prisão e a perda de mandato

 

Contudo, o autarca afirma que vai manter a sua recandidatura. Partindo do principio de que é possível candidatar-se à autarquia mesmo após condenação pelos crimes em causa, o que por si só é motivo para estranheza e preocupação, mais preocupado fico quando penso que, em caso de recandidatura, o homem pode mesmo ganhar.

publicado por Jorge Assunção às 19:07
link do post | comentar | ver comentários (9)
Segunda-feira, 29 de Junho de 2009

Desconfiança

No estudo que o João Carvalho faz referência aqui, fora o título sensacionalista, existem algumas coisas interessantes a reter (com pena minha, não encontro o estudo disponível na net). Mas uma das conclusões a que chegam é que as instituições que geram maior desconfiança por parte dos portugueses são as instituições que nos governam. Quase 70% dos inquiridos revelaram pouca ou nenhuma confiança nessas mesmas instituições. Ora, se as instituições que nos governam são aquelas de quem mais desconfiamos, porque raio teimamos em insistir que é através do reforço do poder destas que podemos resolver a nossa situação?

publicado por Jorge A. às 19:09
link do post | comentar | ver comentários (13)
Sexta-feira, 29 de Maio de 2009

Política travestida

O líder das listas do PS às eleições europeias quer que o PSD se pronuncie sobre a vergonha e roubalheira no BPN . Em Évora ontem á noite, Vital Moreira anunciou também que as minas iam voltar a dar trabalho, mas em vez de se referir a Aljustrel referiu-se a São Domingos [...] Mais tarde, Capoulas Santos referiu-se ao PSD como “trupe”, quando apelava ao voto no PS.

 

O objectivo é fazer com que o BPN represente para o PSD o mesmo que o Freeport representa para o PS. É também para fazer crer que são todos iguais. Mas até concordo: o PSD devia pronunciar-se sobre o caso BPN. Nomeadamente perguntar porquê que há quem se tenha demitido por causa do BPN e em relação ao processo Freeport, nem uma demissão.

publicado por Jorge A. às 09:22
link do post | comentar | ver comentários (4)
Sábado, 28 de Março de 2009

E em Portugal?

Por qué hay tanta corrupción en España?

Podemos aspirar en España a unas administraciones más flexibles y eficientes y, a la vez, menos corruptas? El principal obstáculo para ello es que aquí el debate público está atrapado entre dos visiones antagónicas e indeseables ambas. Por un lado, los partidos políticos que, amparándose en la rigidez tradicional de la administración pública, han fomentado instituciones que permiten una alta politización de la administración y, por tanto, generan corrupción. Por otro, los representantes de los cuerpos de funcionarios que abogan por el mantenimiento de un sistema de empleados públicos inamovibles. Quien obviamente paga las ineficiencias derivadas de la politización y de la rigidez administrativa son los ciudadanos.

Lá como cá.

publicado por Jorge A. às 01:44
link do post | comentar | ver comentários (6)
Domingo, 1 de Fevereiro de 2009

O caso Freeport

Um excelente post do João Miranda, Portugal enquanto "grande autarquia"

O que é que nos ensina o caso Freeport? Que não há qualquer perigo de captura do Ministério Público. O Ministério Público já se comporta como se tivesse sido capturado ao mais alto nível. Que grande parte dos analistas da capital é tão clubista e insensível a suspeitas de corrupção como o povo “ignorante” de Felgueiras e Gondomar. Que o conhecido fiscalista parece ter desaparecido em combate, quem sabe já tenha sido ele próprio capturado. Que o apelo ao nacionalismo contra as autoridades inglesas não é muito diferente dos apelos de Fátima Felgueiras e Valentim Loureiro ao bairrismo contra as autoridades nacionais.
publicado por Jorge A. às 15:31
link do post | comentar
Sexta-feira, 30 de Janeiro de 2009

DVD

A carta rogatória oficial das autoridades inglesas é devera interessante:

O primeiro e o segundo requerimento para a Avaliação de Impacto Ambiental foram reprovados pelo Ministério do Ambiente português no ano 2000. Charles Smith alegou, num interrogatório feito pela Polícia de Londres que a Smith&Pedro foi abordada entre estes dois requerimentos para o pagamento de um suborno considerável para que a aprovação fosse assegurada.

O que vem de acordo com as palavras do tio de Sócrates sobre o caso. Tio de Sócrates que, relembre-se, as autoridades portuguesas ainda não decidiram ouvir. Seria também importante saber quem é que alegadamente abordou Smith durante esse período para pagamento de suborno.

O primeiro e o segundo requerimento para a Avaliação de Impacto Ambiental foram reprovados pelo Ministério do Ambiente português no ano 2000. [...] No dia 17 de Janeiro de 2002, os representantes da Smith&Pedro e da Freeport tiveram uma reunião com as entidades portuguesas, incluindo o ministro do Ambiente à época, José Sócrates, para discutir uma terceira apresentação da avaliação de impacto ambiental.

Isto explica porque o chumbo duplo do projecto antes da sua aprovação não serve de desculpa para nada. O contacto de Sócrates com os elementos da Freeport dá-se posteriormente. 

No dia 17 de Janeiro de 2002, os representantes da Smith&Pedro e da Freeport tiveram uma reunião com as entidades portuguesas, incluindo o ministro do Ambiente à época, José Sócrates, para discutir uma terceira apresentação da avaliação de impacto ambiental. Participaram nesta reunião Sean Collidge, Charles Smith, Gary Russel, Manuel Pedro, José Sócrates e outros funcionários públicos e municipais portugueses.

A tal reunião que Sócrates confirma e a data que o ministro Pedro Silva Pereira desconhecia aquando da entrevista com Mário Crespo. A data é relevante porque coloca a reunião depois dos chumbos e porque o acelerar do processo dá-se imediatamente depois desta. Atente-se que a 17 de Janeiro de 2002 já António Guterres tinha apresentado a sua demissão. Estamos a falar de um caso que, supostamente, Sócrates tinha delegado a responsabilidade ao seu secretário de estado e que, nem por acaso, já em funções num governo de gestão decide participar numa reunião sobre o mesmo. 

Alegadamente, neste mesmo dia, o ministro do Ambiente, José Sócrates, reuniu depois com Sean Collidge, Charles Smith, Gary Russel e Manuel Pedro. Nesta outra reunião, José Sócrates terá alegadamente feito um pedido equivalente a um suborno para assegurar que a Avaliação de Impacto Ambiental fosse aprovada favoravelmente.

A alegada existência desta segunda reunião no mesmo dia é ponto chave para ajudar a perceber o que se passou. 

Estas alegações são extraídas da Carta Rogatória da Procuradoria Geral da República do Montijo, de 12 de Agosto de 2005, suportada por uma série de emails retirados de computadores apreendidos nos escritórios da Smith&Pedro pela Polícia Judiciária portuguesa.

Ou seja, tudo isto parte de investigação portuguesa que misteriosamente pouco tempo depois foi remetida ao esquecimento (obs: Ex-director da Judiciária demitido por este Governo diz ter dado prioridade à investigação do caso Freeport). Até aqui Cândida de Almeida falou a verdade, mas depois vem isto: 

Estas alegações também foram feitas por Charles Smith numa reunião com Alan Perkins (ex-funcionário da Freeport) e com João Cabral no escritório da Freeport em Portugal no dia 3 de Março de 2006. Alan Perkins gravou um vídeo da reunião sem o conhecimento de Charles Smith. Este vídeo encontra-se em anexo a um depoimento recolhido pela polícia de Londres, que foi divulgado às autoridades portuguesas.

Tendo em conta a versão que a policia portuguesa investigou, a policia inglesa tem acesso posteriormente ao tal DVD onde a versão parece confirmar-se. É aqui que Cândida Almeida mente, quando dá a entender que as suspeitas inglesas só partem das suspeitas portuguesas de 2005 que entretanto perderam fundamento. Perderam fundamento para a investigação portuguesa (que não aceita o DVD como prova), mas ganharam mais força junto das autoridades britânicas (exactamente porque há um DVD que as confirma). Repare-se que o DVD não é a única coisa relevante aqui, também existe a palavra de Alan Perkins sobre o que teria dito Charles Smith (a validação do DVD pelas autoridades inglesas permite contudo que perante a justiça inglesa não exista somente um caso de palavra contra palavra, entre a versão de Perkins e a versão de Smith - ou seja, a palavra de Perkins sobre o que lhe teria dito Smith ganha reforçada credibilidade).

 

O resto da carta nada de novo acrescenta. Depois de 17 de Janeiro o processo é aprovado com celeridade acentuada (obs: Última avaliação ambiental do Freeport de Alcochete foi a mais rápida de que se tem registo desde 1995) e é alegado o pagamento de "luvas" através da Smith & Pedro como compensação pela resolução do processo.

 

Deixo ainda outros pontos sobre o processo. A procuradora Cândida Almeida deu a entender, como é costume nestas coisas, que em parte o processo é demorado porque há falta de meios (referiu que estavam três pessoas afectas ao processo). Para quem tem falta de meios é curioso como tenham tempo para ir investigar a violação do segredo de justiça no caso em questão com tanta pressa. Também já não há pachorra para ver Sócrates e a sua vitimização, retratado magnificamente na declaração que fez ontem onde refere "poderes ocultos" e "campanhas sujas" sem concretizar. E isto, Santos Silva indignado contra "continuação de campanha política", é absolutamente formidável, em primeiro lugar porque diz proferir tal afirmação enquanto cidadão, pelo que se os jornalistas tomassem tal declaração a sério, fariam bem em não lhe dar qualquer relevo (o relevo da mesma parte do facto do sujeito em causa ser ministro), em segundo lugar porque quando questionado sobre os autores da campanha respondeu com um "não sou investigador, não sei responder".

 

Neste momento tenho sérias dúvidas em acreditar quer no primeiro ministro (não só por este caso, mas há um histórico que não me esqueço de onde o caso da licenciatura é o mais relevante) quer na justiça portuguesa. E mais do que a avaliação criminal sobre o caso (que não a posso fazer, tal tarefa deve ser deixada à justiça, por muito má que seja), é minha avaliação politica que o actual primeiro ministro devia demitir-se ou ser demitido.

publicado por Jorge A. às 14:50
link do post | comentar | ver comentários (2)
Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

Senhor Professor Doutor

Freitas do Amaral garante legalidade administrativa do licenciamento do Freeport

 

Há por aí quem dê grande validade à opinião do senhor professor doutor Freitas do Amaral, como se a palavra do senhor professor doutor fosse coisa especial só porque é proferida pela boca do senhor professor doutor. E o que disse o senhor professor doutor de especial: nada. Não disse nada de novo, nem acrecentou qualquer ponto de vista diferente do que já se ouvia por aí, mas há quem lhe queira dar muito valor porque trata-se do senhor professor doutor. A validade do argumento é assim relegada para segundo plano e o que é valorizado é a (suposta) autoridade da pessoa que profere o argumento. Nada de novo por este país. O mesmo muitas vezes foi feito em relação à palavra do senhor professor doutor Cavaco Silva ou do senhor professor doutor Mário Soares. Mais recentemente, o economista Paul Krugman é o senhor professor doutor internacional favorito de muita gente (não há jornal em que a sua opinião não seja citada). Este é um país onde a maioria dos cidadãos perderam o seu espirito critico, por isso não é de estranhar que o governo já nem se dê ao trabalho de ter vergonha na cara na utilização de farsas como esta.

 

Vale que nestas coisas existem senhores professores doutores para todo o gosto, Governo de gestão desrespeitou Constituição, diz o antigo ministro socialista João Cravinho.

 

E, ainda mais interessante, refere o Público: Proposta de alteração da ZPE diz claramente que o objectivo incluía o outlet. Quero alertar para o facto de que a noticia do Público desmente as declarações do actual primeiro-ministro, do actual ministro da presidência e do à altura secretário de estado do ambiente. Num país que tanto gosta de respeitar a autoridade da palavra do senhor professor doutor, deveria causar, pelo menos, alguma impressão que os seus politicos continuem a usar da mentira para sua defesa (já agora, existe por aí algum senhor professor doutor para me explicar em como é que este tipo de noticias resultam da violação do segredo de justiça? Just checking).

publicado por Jorge A. às 12:04
link do post | comentar | ver comentários (4)
Sábado, 24 de Janeiro de 2009

A Familia de Sócrates

José Sócrates na conferência de imprensa demarcou-se de possiveis actividades ilicitas no caso Freeport dos seus familiares (referindo-se nomeadamente ao tio e ao "filho do tio", vulgarmente conhecido pela palavra primo). A questão que se coloca é: tirando a ligação com Sócrates, qual o interesse que os promotores do Freeport poderiam ter nos seus familiares?

publicado por Jorge A. às 12:54
link do post | comentar | ver comentários (4)
Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2009

Rouba, mas faz

Caso Freeport: buscas a tio de Sócrates foram feitas a pedido das autoridades inglesas

 

Sócrates hoje já deu o mote, parece que o caso só vem à tona em período de eleições refere o nosso querido lider, nada melhor do que começar a blindagem com a campanha da vitimização. Presumo que as buscas hoje realizadas sejam obra de uma qualquer conspiração entre membros dos partidos da oposição e as autoridades policiais inglesas e portuguesa. Deve ser isso.

 

Entretanto, para quem assume que o caso em questão é um problema politico que põe em causa a reeleição do nosso primeiro, eu tenho as minhas mais sinceras dúvidas. Em primeiro porque estou convencido que, no que toca à justiça portuguesa, a tradição implica que tudo morrerá em águas de bacalhau. Em segundo lugar porque estamos a falar do país de Isaltino Morais, de Fátima Felgueiras ou de Valentim Loureiro.

 

No Brasil existe um lider eleito sob a batuta do "rouba, mas faz", a descrença no sistema politico português é também de tal ordem que começo a acreditar que tal slogan tem pernas para andar cá pelo burgo lusitano. Anda, anda, quem o usar ainda é elogiado pela honestidade e ganha uns votos à custa disso.

publicado por Jorge A. às 20:42
link do post | comentar
Sábado, 17 de Janeiro de 2009

O Nome da Rosa

Uma gravação vídeo da conversa entre um administrador inglês da sociedade proprietária do Freeport e um sócio da consultora Smith & Pedro refere o pagamento de luvas a um ministro português. (fonte: Sol)

A pergunta que importa ser respondida: quem é o ministro em causa?

publicado por Jorge A. às 02:28
link do post | comentar | ver comentários (4)
Terça-feira, 30 de Setembro de 2008

Lisboagate

O caso da atribuição de casas em Lisboa é absolutamente vergonhoso, mas como se depreende depressa com os nomes que já sairam a público, envolve gentes de todas as cores e partidos, daí que não seja de admirar que mais cedo ou mais tarde o caso seja abafado. Este é o tipico caso que só um jornalismo de investigação forte e independente poderia ajudar a explicar os meandros do processo, mas dúvido que em Portugal a coisa vá muito longe. Por cá, a maioria do jornalismo é também ele pertença do regime. Azar o nosso.

publicado por Jorge A. às 23:10
link do post | comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 9 de Agosto de 2007

Ficção

O presidente do fêcêpê, o srº Jorge Nuno Pinto da Costa, dá uma entrevista na SIC Noticias. Reduz o processo apito dourado em relação à sua pessoa como uma cabala do presidente do ésselbê, o srº Luis Filipe Vieira, que tem como objectivo abafar os maus resultados desportivos do glorioso.

Pelos lados do clube de azul e branco - nomeadamente na cabecinha do seu presidente - nada de novo. Da mesma forma que os anti-americanos primários culpam os americanos de todos os problemas do mundo, os anti-benfiquistas primários culpam o Benfica por tudo e por nada.

Curiosas as partes em que o srº presidente falou da srª Carolina Salgado... razão tinha o José Veiga.

Mas como sempre, no principio, no meio e no fim, Benfica, Benfica, Benfica... somos muito grandes, carago!!!
publicado por Jorge A. às 22:21
link do post | comentar
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Mais sobre mim

Contacto

jorgeassuncao@europe.com

Subscrever feeds

Pesquisar neste blog

Links

Arquivos

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Secções

desporto(383)

politica nacional(373)

cinema(291)

economia(191)

música(136)

ténis(132)

humor(131)

futebol(130)

eleições eua(118)

estados unidos(115)

portugal(115)

blogs(109)

miúdas giras(93)

jornalismo(88)

politica internacional(87)

governo(79)

televisão(74)

blogosfera(69)

oscares(68)

pessoal(55)

todas as tags

blogs SAPO