3 comentários:
De José António Abreu a 28 de Dezembro de 2009 às 12:19
Impraticável. Isso seria a negação de toda a política económica nacional desde há muito, muito tempo.
De Jorge Assunção a 28 de Dezembro de 2009 às 15:12
Infelizmente, também creio que sim. Em Portugal, a lógica é mais: quanto mais falida e pior o serviço, mais o dinheiro que o contribuinte deve lá meter.

Comentar post