Sexta-feira, 30 de Outubro de 2009

Venha o diabo e escolha

Pedro Passos Coelho, acarinhado desde há muito pelas suas tropas, é candidato assumido à liderança do PSD, do outro lado, numa estratégia bem montada revelada ontem, a tropa sobrante deve ter contado espingardas e decidido que Marcelo Rebelo de Sousa é o general indicado para a batalha. Pois bem, entre um e outro, venha o diabo e escolha.

 

Adenda: bem, para ser sincero, talvez não seja bem como digo, é que só por ver o nervosismo de alguns apoiantes do inconsistente Passos, apoiantes esses que ainda há pouco tempo tentaram mandar o professor para Bruxelas, por ser um óptimo e consistente candidato (não nos esqueçamos disso), faz-me torcer pelo professor Marcelo. Deixemos, então, o diabo descansar: a minha escolha é o professor Marcelo. Candidate-se professor, candidate-se. Ao menos, apesar de excessivamente social-democrata e nada liberal, sempre é mais do que um mero rapazola com boa aparência.

publicado por Jorge Assunção às 13:01
link | comentar
4 comentários:
De António de Almeida a 31 de Outubro de 2009
Não quero discutir as virtudes de Marcelo Rebelo de Sousa e são várias, por isso o que irei escrever de seguida não lhe é aplicável. Acho absolutamente extraordinário que alguma "tralha" responsável por sucessivas derrotas desde 1995, se julgue accionista maioritária do PSD, perecebo-os, eles são a boa moeda, alguns tiveram com todas as lideranças desde Marcelo, incluindo Santana Lopes, e se não estiveram com Menezes foi porque este não os quis por perto. Aguardo com expectativa a reacção de Marcelo, mas julgo que este se avançar não o fará contra Passos Coelho e estenderia imediatamente a mão aos seus apoiantes em caso de vitória, ao contrário dos sectários que dominam por agora o PSD. Por mim tenciono continuar a não votar em tal partido, pelo menos enquanto estiver dominado por esta gente...
De Jorge Assunção a 2 de Novembro de 2009
António,

nós temos percepção diferente, falar das elites do PSD e da boa moeda, de forma negativa, sem indicar nomes não me comove. Para mim o problema do PSD reside mesmo no facto dos 'populistas' Menezes e Santana Lopes conseguirem apoios dentro do partido. Não é uma questão de boa ou má moeda, mas apenas destes dois, bem como a maioria dos seus apoiantes (agora agrupados na facção de Passos Coelho) não me convencerem minimamente pela sua inconsistência, ou achas, e é uma pergunta sincera, que Menezes ou Santana Lopes são mais merecedores de confiança política que Pacheco Pereira? Repara, por exemplo, na posição de Pacheco na questão do Tratado de Lisboa e percebes onde lhe descubro a consistência que não detecto nos outros dois.
De António de Almeida a 3 de Novembro de 2009
Também estou de acordo com JPP em relação ao Tratado de Lisboa. Mas depois vem o resto, e discordo de JPP na maioria das vezes, desde sempre. Poderia recuar a 1991 quando queria encerrar a AR aos jornalistas, até aos nossos dias, acusando de situacionismo todos os que ousam pensar de forma diferente. Dizer-se que Pedro Passos Coelho não tem substância é um manifesto exagero, quanto muito não será um académico com doutrina política. Mas tem à sua volta pessoas no mínimo bem preparadas, desde quando Miguel Relvas não o é? JPP terá sido dos principais defensores da purga nas listas, que ao incluirem António Preto e Helena Lopes da Costa dispensaram mais apresentações. Não é por acaso que Rui Rio, vice-presidente da actual direcção há muito que está afastado da líder. E Paulo Rangel que todos falam? Não se lembrava de ter preenchido a ficha de inscrição no CDS, há um ano nem se sabia ao certo há quanto tempo era militante. José Luíz Arnaut, José Eduardo Martins, qual é a sua importância política? Não misturo Paulo Mota Pinto que considero a mais valia da actual direcção, mas sempre me pareceu ali algo deslocado. Ou me engano ou irás assistir ao aproximar de Morais Sarmento a PPC nos próximos tempos...
De Jorge Assunção a 3 de Novembro de 2009
"Também estou de acordo com JPP em relação ao Tratado de Lisboa."

Não é a questão do concordar (acho que mesmo para quem discorde da posição de Pacheco Pereira, aceitará o ponto que quero marcar): é o facto de ser uma posição política não comum à maioria dos políticos que temos e de Pacheco Pereira não só ter convicção para a defender, como insistentemente o faz. Quanto políticos em Portugal conheces que teriam a coragem de citar textos de Vaclav Klaus a concordar expressamente com tudo o que este diz? Logo a começar, tal político ganhava a antipatia de boa parte dos jornalistas, que detestam Klaus. É isso que eu entendo por consistência. E foi isso, a título de exemplo, que reconheci em Passos quando disse o que disse sobre a CGD. Quando demonstrou recuar na posição, percebi logo o barro de que era feito. De lá para cá, outros sinais claros existiram que me convenceram da sua falta de consistência (a defesa da construção do TGV como projecto estratégico é mortal).

"acusando de situacionismo todos os que ousam pensar de forma diferente."

Não me parece isso que ele faz. A questão não é outros pensarem de forma diferente, mas os meios pelos quais um certo poder se perpetua e a opinião publica e as notícias divulgadas servem para manter esse estado de coisas. Não é o pensamento que está em causa, mas a forma como o pensamento se propaga.

"quanto muito não será um académico com doutrina política."

Não é um académico (o que até pode ser uma mais valia), como não tem qualquer obra feita, nem na política, nem fora dela. Por exemplo, no mundo empresarial, Passos Coelho não é ninguém, e conseguiu o cargo que ocupava sabemos com o apoio de quem: daquele que agora o lançou como seu estratega para as lides políticas.

Comentar post

Mais sobre mim

Contacto

jorgeassuncao@europe.com

Subscrever feeds

Pesquisar neste blog

Links

Arquivos

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Secções

desporto(383)

politica nacional(373)

cinema(291)

economia(191)

música(136)

ténis(132)

humor(131)

futebol(130)

eleições eua(118)

estados unidos(115)

portugal(115)

blogs(109)

miúdas giras(93)

jornalismo(88)

politica internacional(87)

governo(79)

televisão(74)

blogosfera(69)

oscares(68)

pessoal(55)

todas as tags

blogs SAPO