12 comentários:
De Daniel João Santos a 3 de Setembro de 2009 às 13:42
Limpezas de Verão.
De Jorge Assunção a 3 de Setembro de 2009 às 14:24
Falta agora a limpeza de outono, quando o querido líder for corrido do cargo.
De Porfirio Silva a 3 de Setembro de 2009 às 14:57
Aqui há uns anos, quando a Prisa chegou à TVI, houve muitas profecias de que era uma manobra (internacional) dos socialistas para controlar a informação. Foi o que se viu. Mas, claro, o fracasso das profecias não desmobiliza os crentes em teorias da conspiração. Só por que sim, claro. Porque parece muito efectivo jogar com aparências.
De Jorge Assunção a 3 de Setembro de 2009 às 15:03
Caro Porfirio,

esclareça-me: é algum bot com o objectivo de espalhar spam pelas caixas de comentário alheias? É que já li este seu comentário em, pelo menos, outros dois posts.
De manuel gouveia a 3 de Setembro de 2009 às 19:48
Uma decisão tomada por uma empresa privada. Não temos nada a ver com isso.

Que eu saiba a TVI não é a RTP. Insinuar que o governo tem algo a ver com esta decisão, legitima numa empresa privada, é estar de má fé!
De Jorge Assunção a 4 de Setembro de 2009 às 16:30
"Uma decisão tomada por uma empresa privada."

Pois não, importa é perceber que a decisão dos privados é influenciada por factores governamentais. Com os factores governamentais temos muito coisa a ver com isso.
De manuel gouveia a 4 de Setembro de 2009 às 16:40
Portanto o regime não nos serve de garantia quando as pessoas não são de qualidade.
De Jorge Assunção a 4 de Setembro de 2009 às 16:55
Não. Porque os factores governamentais são influenciados pela capacidade de intervenção deste na economia. E o nosso regime de cariz socialista aumenta essa capacidade. É, portanto, urgente diminuir o peso do Estado na economia nacional. Quando o Estado deixar de ter mecanismos que permitem influenciar os lucros ou a sobrevivência de determinadas empresas, a promiscuidade entre o público e o privado desaparece. Porque os privados deixarão de lamber as botas a quem nada lhes pode dar.
De manuel gouveia a 4 de Setembro de 2009 às 22:42
Pessoas com eles no sítio não aceitam pressões nem determinadas ordens.
De Bruno - Planetas a 3 de Setembro de 2009 às 23:37
Pensar que Sócrates deu ordem para sanear a "jornalista" MM Guedes a 20 dias das eleições é um guião de comédia, só pode. Muito há por onde criticar este governo, claramente esse não é o caminho. A Prisa parece ter escolhido apostar na credibilidade da estação em vez de ceder à tentação das audiências. Acredito que Mário Crespo encontrou a colega ideal para o jornal da 9 !
De Jorge Assunção a 4 de Setembro de 2009 às 16:33
Caro Bruno, Sócrates deu ordem para "sanear" a jornalista no dia em que identificou o Público e a TVI como jornalismo de sarjeta. Da mesma forma que numa sociedade verdadeiramente democrática e livre, ninguém aceitaria de bom tom que o primeiro-ministro deixasse de dar entrevistas a um dos três canais de televisão generalista.

Quanto à Prisa, não sei se recorda-se do caso PT/TVI, em que a Prisa estava envolvida e Zapatero, tal como Sócrates, estava ao corrente do negócio. Talvez ajude a perceber como é que estas coisas se fazem.
De Ricardo a 6 de Setembro de 2009 às 19:20
Se reparar bem não há diferença de fundo entre A MMG e o MC. O MC actua pela calada qual sonsinho, com aquela vozinha irritante que parece que ao mesmo tempo que canta a música do Vitinho , vai espetando facas nas costas do Sócrates. Para que o jornalismo seja assim ou assado, primeiro tem de ser jornalismo. Tenho para mim que a Prisa acabou com aquela coisa porque aquela coisa não era jornalismo, era pura acção política ou revista cor-de-rosa política e adivinhem lá quem estava sempre na capa. Por outro lado, foi uma afirmação de poder, acabou-se o reinado Moniz. Quem manda é a Prisa . Quem se lixou foi o Sócrates. Foi burro em dar tanta importância àquele jornal, isso foi.

Comentar post