16 comentários:
De António de Almeida a 30 de Agosto de 2009 às 15:12
-Há muito que a TAP deveria estar privatizada, proposta, mais uma não cumprida, inscrita no programa de governo do cherne em 2002.
De Jorge Assunção a 31 de Agosto de 2009 às 15:39
António, mas alguma vez é possível privatizar a TAP com os prejuízos que esta apresenta? Quem é que está interessado na companhia? Ninguém. O governo têm é de deixar a gestão diminuir os custos da companhia, nem que seja à força, aceitando enfrentar greves se necessário. Claro que, politicamente, nenhum governo está disposto a isso.
De Daniel João Santos a 30 de Agosto de 2009 às 21:24
Isto se se ter gestores privados é uma chatice.
De Jorge Assunção a 31 de Agosto de 2009 às 15:41
A gestão é pública, mas deve estar a escapar-me alguma coisa...
De manuel gouveia a 31 de Agosto de 2009 às 15:58
Mas os gestores saíram do mercado de trabalho privado e são pagos de acordo com os ordenados, supostamente, praticados nesse sector.

Gestor que sistematicamente dá prejuízo deve ser despedido, sem indemnização .
De manuel gouveia a 31 de Agosto de 2009 às 12:21
E ninguém despede os gestores que negociaram com os sindicatos o Acordo Colectivo de Trabalho, que pelos vistos, não serve a empresa...
De Jorge Assunção a 31 de Agosto de 2009 às 15:44
O gestor não tem culpa quando quer tomar medidas e a intervenção política impede-o de fazer o que ele quer. A Groundforce é um bom exemplo. Gostava de perceber como é que o Manuel responsabiliza o gestor que preparava-se reestruturar a empresa e que, por intervenção do governo, fica obrigado a deixar tudo como está. E o mesmo pode ser dito dos gestores da TAP, que preparavam-se para deslocar parte das suas actividades para o Brasil e, por intervenção do governo, são obrigados a continuar a usar a Groundforce para o serviço.
De manuel gouveia a 31 de Agosto de 2009 às 15:56
Não percebi! Carregavam os aviões a partir do Brasil? Como?

Os gestores negoceiam os acordos colectivos. Querem fazer o brilharete de os assinar rapidamente, e acabam por fazer um mau serviço, contra a empresa e contra os trabalhadores.
De Jorge Assunção a 31 de Agosto de 2009 às 16:23
"Não percebi! Carregavam os aviões a partir do Brasil? Como?"

Não. A TAP estava a pensar fazer manutenção dos aviões no Brasil, saia mais barato. A greve da Groundforce e a interferência do governo parece que vai levar a actual gestão a desistir dessa ideia.

"Os gestores negoceiam os acordos colectivos. Querem fazer o brilharete de os assinar rapidamente"

Os gestores negoceiam com indicações políticas, é isso que torna a gestão pública ineficaz. Quem acha um brilharete o acorde ser assinado rapidamente são os políticos, da mesma forma que Mário Lino congratula-se por ter acabado com a greve tão rapidamente. Bastou uma palavrinha e a certeza de que o dinheiro dos contribuintes está aí para garantir o prejuízo da empresa.
De manuel gouveia a 31 de Agosto de 2009 às 17:43
A Groundforce não faz manutenção aos aviões... mas enfim.

O que eu defendo é que o dinheiro dos contribuintes não pode estar a sustentar administrações pagas a peso de ouro que falham sistematicamente nas suas estratégias empresariais.

E as administrações são autónomas na negociação com os sindicatos, se o governo se metesse estaria tramado. O que se passa é que as administrações têm os lugares cativos independentemente dos resultados. E isso é que tem de terminar.
De Jorge Assunção a 31 de Agosto de 2009 às 17:48
"A Groundforce não faz manutenção aos aviões... mas enfim."

Pois não, então explique-me o Manuel porquê que os sindicatos dos trabalhadores da Groundforce queriam barrar a estratégia da empresa de passar a fazer manutenção de aviões no Brasil?

http://viagem.uol.com.br/ultnot/lusa/2009/08/26/ult3642u352.jhtm

"Antônio Monteiro estranha que os sindicatos aleguem como um dos motivos para a greve a intenção da administração deixar a manutenção dos aviões aos cuidados da antiga empresa VEM, atual TAP Manutenção & Engenharia do Brasil. "É ridículo. A greve é da Groundforce. O que é que a Groundforce tem a ver com a manutenção?", questionou."
De manuel gouveia a 31 de Agosto de 2009 às 17:55
Só o António Monteiro é que escutou esse argumento...
De Jorge Assunção a 31 de Agosto de 2009 às 18:11
Eu é que cada vez estou convencido que o Manuel é surdo e não lê notícias...
De Jorge Assunção a 31 de Agosto de 2009 às 17:52
"O que eu defendo é que o dinheiro dos contribuintes não pode estar a sustentar administrações pagas a peso de ouro que falham sistematicamente nas suas estratégias empresariais."

A actual gestão tem uma estratégia empresarial para a Groundforce - reestruturar e privatizar, tal como são obrigados por lei. Os sindicatos intervêm e bloqueiam tal estratégia, com intervenção do governo. O Manuel depois queixa-se que as administrações falham sistematicamente nas suas estratégias empresariais. Curioso.

"E as administrações são autónomas na negociação com os sindicatos, se o governo se metesse estaria tramado."

Sim. E eu sou o pai natal. O Manuel é, ou não, a favor de uma reestruturação da Groundforce mesmo que esta passe por despedimento de trabalhadores? Isso, sim, é que interessa. A actual administração tinha essa estratégia. Conseguiu implementá-la? Não. Porquê? Porque o governo interveio. História contada.
De manuel gouveia a 31 de Agosto de 2009 às 17:58
As administrações devem cumprir com os objectivos que lhe são confiadas e zelar pelo património que lhe foi confiado.

Não sabem gerir o handling ? Temos duas hipóteses ou vendemos a quem o saiba gerir, ou vamos buscar quem saiba gerir e despede-se a actual administração !
De Jorge Assunção a 31 de Agosto de 2009 às 18:14
"As administrações devem cumprir com os objectivos que lhe são confiadas e zelar pelo património que lhe foi confiado."

Despedir é o que se faz constantemente em empresas a necessitar de reestruturação. Como é óbvio é contra isso que o Manuel está - o Manuel nunca aceitará que a solução para uma empresa, nomeadamente uma empresa gerida com capitais públicos, passe pelo despedimento de pessoal. Isso também explica porque o governo intervém sempre. Já agora, sabe quantas administrações passaram pela Groundforce? Sabe há quanto tempo está a actual administração no poder? Pois...

Por mim dou por terminado o debate, não me importa debater com quem finge que não percebe ou quer a todo o custo não perceber.

Comentar post