13 comentários:
De Livia Borges a 30 de Junho de 2009 às 13:20
Neste pais, quem ordena nas instituições de quem o povo desconfia são os mediocres, que abafam quem tem valor.
Compete a nós todos exigirmos que as nossas instituições sejam dirigidas e orientadas por gente com mérito e valor e não pelo filho do senhor doutor, ou pelo conhecido do primo do senhor ministro.
De Jorge Assunção a 30 de Junho de 2009 às 13:31
Pois. A famosa cunha tão tradicional na nossa cultura, Livia. Vem dai a desconfiança. Nesse campo um exemplo que me ocorre imediatamente é o da educação. Pergunta a um qualquer elemento do sistema se faz sentido acabar com as colocações por concurso, entregando a autonomia da escolha de professores às direcções de cada escola. Logo dizem que não concordam porque a cunha entrava em acção. Com medo da cunha, temos um sistema que ainda favorece mais o centralismo do ministério e a incapacidade de avaliar os méritos e valores quer dos professores, quer das direcções escolares. É que isso da avaliação do mérito e do valor das pessoas tende a ocorrer quando os sistemas são concorrenciais e existe liberdade de acção, com medo da cunha criamos sistemas fechados e desprovidos de avaliação, seja ela aos professores, seja às próprias escolas.

Comentar post