4 comentários:
De Jorge Assunção a 29 de Maio de 2009 às 12:13
"mais afectado é o próprio Presidente, do período do cavaquismo, e não tanto o PSD actual."

Talvez. Mas o que sobra para boa parte da opinião pública é que no que toca a suspeitas, ambos os partidos são iguais. É esse o objectivo: igualar. Depois entre iguais, dar Sócrates como aquele que faz. Eu já escrevi um post aqui no Despertar sobre isso: é a lógica da eleição de Lula no Brasil: "ele rouba, mas faz". E o rouba aqui é relativizado porque, para todos os efeitos, todos roubam.

"Um abraço e um bom "Roland Garros"!"

Eheheh. Correu mal o primeiro encontro. A tuga foi-se à vida. A adversária usava tácticas obscuras como as do PS. :)
De Ana Gabriela A. S. Fernandes a 29 de Maio de 2009 às 15:29
"Correu mal o primeiro encontro. A tuga foi-se à vida. A adversária usava tácticas obscuras como as do PS. :)"

Oh, oh... bem, esperemos que o mesmo não aconteça com o PSD.
Tens razão quando dizes que há uma lógica perversa nesta história da "política baixa". Polui, confunde, mas funciona. Bem, teremos de confiar no bom senso do eleitor.
Aquela das minas ainda é pior do que eu pensava. Parece que o candidato confundiu as de Aljustrel com as de S. Domingos. Bem me parecia que as de S. Domingos estão desactivadas há décadas. Tenho fotografias das ruínas, que tirei em 95, são muito fotogénicas, mas parece que iniciaram lá qualquer recuperação turística, das casas pelo menos.

Estou a gostar da forma aprofundada como tens analisado as sondagens. Tem sido importante desmontar o "esquema". Também não percebo como é que os jornalistas não sabem analisar, de forma objectiva, resultados que falam por si.
Um abraço!
De Jorge Assunção a 29 de Maio de 2009 às 18:18
"Oh, oh... bem, esperemos que o mesmo não aconteça com o PSD."

O problema foi o árbitro: queria que a tuga não fizesse muito barulho quando batia a bola. Na analogia com a política nacional, depende daquilo que entendamos como árbitro (são vários e nem todos jogam no mesmo tabuleiro, mas há uma relação de forças que eu penso saber para onde pende).

"Aquela das minas ainda é pior do que eu pensava. Parece que o candidato confundiu as de Aljustrel com as de S. Domingos. Bem me parecia que as de S. Domingos estão desactivadas há décadas."

Eheheh. Pois foi, mas isso era referido no corpo da notícia. :)

As de Aljustrel ele tinha de prometer, não é mais do que uma promessa que há muito está feita (digo mais, já está é por cumprir - embora pela forma como a vão cumprir, mais valia não o ser).

"Também não percebo como é que os jornalistas não sabem analisar, de forma objectiva, resultados que falam por si."

E o dinheiro que eles gastam em sondagens? E o que ganham de especial com isso quando, no essencial, os dados são rapidamente divulgados através da net por todos (e nada podem fazer contra isso)? Também por isso são tão poucas. E o título inicial é, por vezes, tão sem sentido. Mas toda esta notícia do Público é inacreditável. Como afirmas, limito-me a dizer o óbvio: os resultados "falam por si". É o mínimo...

Comentar post