Quarta-feira, 18 de Março de 2009

Triste

Manuel Alegre defende aumento de salários

 

É, isso deve resultar.

publicado por Jorge A. às 23:41
link do post | comentar
12 comentários:
De manuel gouveia a 19 de Março de 2009 às 11:22
Só não percebo uma coisa: se os baixos salários são uma vantagem em tempo de crise, então na europa devemos ser o país menos afectado!
De Jorge Assunção a 19 de Março de 2009 às 13:25
Manuel,

não é essa a questão. Os salários devem estar associados à produtividade dos trabalhadores. É por isso que a Alemanha pode pagar mais do que nós aos seus trabalhadores e nem por isso deixa de ser competitiva.
De manuel gouveia a 19 de Março de 2009 às 13:55
Como se por lá também os patrões não deslocalizassem as suas empresas... mas, volto a insistir na comparação dos ordenados/produtividade dos caixas dos supermercados ou dos empregados do El Corte Inglés, que lá como cá praticam os mesmos preços de venda ao público. Diferente só mesmo os ordenados...
De Anónimo a 19 de Março de 2009 às 14:19
Comentário apagado.
De manuel gouveia a 19 de Março de 2009 às 14:23
São exactamente os mesmos, mesmo com a diferença do IVA. Como tenho familia em Elvas, verifico sempre os preços. Por exemplo, comprei uma vaporizadora da Polti (no Corte Inglés) e era o mesmo preço, apesar da diferença do IVA.

Já agora, sabe que por exemplo os carros são muito mais baratos em Espanha? Onde por exemplo troco os meus pneus...
De Jorge Assunção a 19 de Março de 2009 às 14:19
Manuel,

os caixas do El Corte Inglés ganham mais que os caixas do MiniPreço. Porquê?

De resto é um problema do nível de vida da economia onde estão inseridos. Em Espanha, se o El Corte Inglés pagasse o mesmo que paga em Portugal não arranjava trabalhadores.

E em Espanha, volto a dizer, os preços são mais altos que em Portugal. Onde é que o Manuel arranjou essa ideia que os preços são os mesmos?
De Manuel Gouveia a 19 de Março de 2009 às 14:26
São exactamente os mesmos, mesmo com a diferença do IVA. Como tenho familia em Elvas, verifico sempre os preços. Por exemplo, comprei uma vaporizadora da Polti (no Corte Inglés) e era o mesmo preço, apesar da diferença do IVA.

Já agora, sabe que por exemplo os carros são muito mais baratos em Espanha? Onde por exemplo troco os meus pneus...
De Jorge Assunção a 19 de Março de 2009 às 14:32
Manuel,

esta discussão dos preços não nos leva a lado nenhum - nem interessa para nada. O que me interessa é: quantos dos bens vendidos em Espanha nos supermercados são espanhóis e quantos dos vendidos em Portugal são portugueses?

A Zara pode vender produtos ao mesmo preço em Portugal e em Espanha, mas a produção está em Espanha. Percebe qual é o problema crónico português?
De Marco A. a 19 de Março de 2009 às 14:09
No actual contexto vir a defender isto, que embora necessário é incomportável, é sinal de possível candidatura à presidência da Republica.

Enfim, demagogia todos utilizam... O "bad boy do PS" não é excepção. Vamos ver os que se seguem...

Cumprimentos.
De Jorge Assunção a 19 de Março de 2009 às 18:41
"é sinal de possível candidatura à presidência da Republica."

Concordo.
De AP a 19 de Março de 2009 às 14:59
Jorge,
Trabalhei muitos anos em Badajoz e posso-lhe garantir que muitos preços em Espanha são iguais, ou mesmo mais baixos, que em Portugal.
Certamente conhece o conceito "paridade de preços" que muitas empresas aplicam nas suas filiais pela Europa. Só variam mesmo os salários...
Mais que nunca a pergunta é pertinente: se as sucessivas injecções de capital não chegam às empresas e aos cidadãos, que tal enveredar pelo aumento dos salários? Só estes têm capacidade de aumentar o consumo.
De Jorge Assunção a 19 de Março de 2009 às 18:40
AP,

já respondi ao Manuel que os preços dos produtos não interessam. Mas, de qualquer forma, e com todos os problemas do indicador, pode-se recorrer ao Purchasing power parity. Na OCDE:
http://www.oecd.org/dataoecd/48/18/18598721.pdf

Os preços em Portugal são, para o cabaz seleccionado, 91% do valor dos preços em Espanha.

Aqui também é possível escolher as variáveis para chegar à mesma conclusão: em Espanha, os produtos são, em média, mais caros:
http://pwt.econ.upenn.edu/php_site/pwt62/pwt62_form.php

"se as sucessivas injecções de capital não chegam às empresas e aos cidadãos, que tal enveredar pelo aumento dos salários? Só estes têm capacidade de aumentar o consumo."

AP, não, não e não (aumento dos salários era a nossa morte). Se o objectivo é pôr mais dinheiro no bolso das pessoas, como parece ser o que o AP sugere, o caminho passa pela redução dos impostos - não pelo aumento dos salários.
De AP a 20 de Março de 2009 às 13:21
Jorge refiro-me apenas ao aumento dos salários mais baixos. Mas logicamente que não discordo da sua opinião sobre a redução de impostos, principalmente para as empresas.

Comentar post

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Mais sobre mim

Contacto

jorgeassuncao@europe.com

Subscrever feeds

Pesquisar neste blog

Links

Arquivos

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Secções

desporto(383)

politica nacional(373)

cinema(291)

economia(191)

música(136)

ténis(132)

humor(131)

futebol(130)

eleições eua(118)

estados unidos(115)

portugal(115)

blogs(109)

miúdas giras(93)

jornalismo(88)

politica internacional(87)

governo(79)

televisão(74)

blogosfera(69)

oscares(68)

pessoal(55)

todas as tags

blogs SAPO