11 comentários:
De Jorge Assunção a 4 de Março de 2009 às 18:49
O 25 de Abril, como se comprova, de pouco serviu. A minha geração devia era mudar de ideias e com isso promover uma "revolta" silenciosa...
De manuel gouveia a 5 de Março de 2009 às 11:03
Talvez estejamos a dizer o mesmo: a esta (nossa geração) pouco serviu, mas à deles... ui, ui...

Revolta silenciosa? Talvez, eu preferia algo mais radical se houvesse por aí alguém (que não eu) com a coragem para o efeito. Mas sim, chega de braços cruzados. Por onde começamos?
De Jorge Assunção a 5 de Março de 2009 às 21:23
"mas à deles"

Mesmo assim, a uma pequena parcela "deles".

"eu preferia algo mais radical"

As mais radicais tem normalmente dois efeitos: ou a situação fica pior, ou volta tudo ao mesmo. Por isso, não se recomendam.

"Por onde começamos?"

Defender ideias num blogue já é uma forma de intervenção na vida pública. Logo, de certa forma, já começamos. ;)
De manuel gouveia a 5 de Março de 2009 às 23:26
Avisa quando estivermos quase lá... que cá para mim estamos muito longe!
De stran a 6 de Março de 2009 às 19:39
"O 25 de Abril, como se comprova, de pouco serviu"

Epá e a liberdade?!? Ok, uma coisa é não gostar de como estamos agora...

Olha serviu pelo menos para dizeres que "de pouco serviu"! ;-)
De Jorge Assunção a 7 de Março de 2009 às 16:13
Stran,

toda a razão, tal é algo que importa sublinhar. Longe de mim querer voltar ao regime que vigorava antes de 1974. Mas do ponto de vista dos resultados, nomeadamente económicos, será uma mentira achar que melhoramos pós-1974. E mesmo o poder, apesar da escolha democrática, perpetua-se nos mesmos de sempre (existem grupos bem identificados que se apoderaram do actual regime - os partidos servem para eternizá-los). Mas o grau de liberdade que o 25 de Abril nos concedeu é para valorizar, certamente.

Comentar post