2 comentários:
De António de Almeida a 6 de Janeiro de 2009 às 15:47
No Reino Unido não existiram igualmente cortes nos impostos? Por cá a receita é obviamente gastar mais dinheiro em betão e argamassa, para cúmulo mal gasto. Para gastar o dinheiro que não temos em construção, ocorre-me que a recuperação dos centros urbanos de várias cidades, a resolução de problemas com escoamentos, melhoria da qualidade do parque escolar e hospitalar seriam mais proveitosos que TGV's e aeroportos. Talvez não sejam apenas obras tão emblemáticas.
De Jorge A. a 6 de Janeiro de 2009 às 18:53
"No Reino Unido não existiram igualmente cortes nos impostos?"

Julgo que sim, mas que pelo menos a promessa foi feita, disso não tenho dúvidas. Mas o governador do Banco de Portugal hoje, como durante todo o mandato deste governo, voltou a dar cobertura a Sócrates, ao defender que o corte de impostos não era solução para a actual crise.

"Talvez não sejam apenas obras tão emblemáticas."

Da mesma forma que o governo só salva grandes empresas porque a queda dessas provocaria dores de cabeça nos noticiários, a obra feita tem de ser daquela que se veja e permita ao nosso primeiro fazer apresentações com abertura de noticiários.

Comentar post