4 comentários:
De Salgueirista a 2 de Janeiro de 2009 às 21:45
Apesar de não estar a gostar muito da atitude dos russos ultimamente, essa história dos ucranianos andarem a atrofiar-lhes o gas não é nova.
Mas a boca do Putin em relação ao gas barato diz tudo.
Não sei quanto custaia fazer gasodutos para a europa central a passar pelo Bielorrussia que é mais cooperante, mas aí a ameaça seria menor e não existiria pressão sobre o preço do gas.
De Jorge A. a 3 de Janeiro de 2009 às 00:19
"Não sei quanto custaia fazer gasodutos para a europa"

Mas os russos já procuram alternativa à muito:
http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2009/01/090102_russia_gas_ue_cq.shtml

"Entre essas alternativas estão dois gasodutos que a Rússia planeja construir e que não passarão pela Ucrânia. Um deles sairia da Rússia, passando pelo Báltico, e chegando à Alemanha, outro passaria por baixo do mar Negro."
De Carlos Santos a 3 de Janeiro de 2009 às 02:41
Caro Jorge,

O Leon Aron diz que o sultanato corporativista de Putin contém em si mesmo os elementos da sua queda. Porque com a crise mundial, o fluxo de petrodólares está fraco e como Putin disse há uma semana, a energia barata acabou. Pode este regime de fachada sobreviver sem dinheiro?

Abraço,
Carlos
De Jorge A. a 3 de Janeiro de 2009 às 13:22
Caro Carlos,

"Pode este regime de fachada sobreviver sem dinheiro?"

Estou absolutamente convencido que sim. Assumindo, como parece certo neste momento, que é objectivo de Putin retornar novamente de forma clara à liderança na Rússia, este não perderá o poder só pela falta de petrodólares. Os petrodólares serviram mais como factor de retorno russo à cena internacional do que como factor de consolidação do poder de Putin internamente (pelo menos como factor essencial). No circuito interno, Putin consolidou o poder com recurso ao prestigio que a intervenção militar na Chechénia garantiu (e temo que possa usar coisa semelhante se for preciso voltar a distrair o povo russo - a Ossétia em parte assim se justifica) e porque criou um conjunto complexo de dependências dos sectores influentes russos para com o governo. Certo que os petrodólares ajudaram na criação desse sistema complexo de dependência, numa sociedade com alto grau de máfia, existir dinheiro a fluir facilita as coisas e reduz a agitação social, mas antes dos petrodólares serem factor importante, já Putin tinha descoberto forma de exercer o seu poder - utilizar o poder repressivo do Estado para colocar na cadeia quem se lhe opunha (isto para não falar noutros casos mais obscuros de assassinatos).

A questão que se coloca é, com a manutenção do preço das matérias energéticas em baixa, como lidará a Rússia com a perda de força na cena internacional que tal obrigará? A resposta a essa pergunta é que me preocupa...

Cumprimentos.

Comentar post