Domingo, 30 de Novembro de 2008

Commies Aren't Cool

A contribuição da URSS e, posteriormente, do campo dos países socialistas, para os grandes avanços de civilização verificados no século XX foi gigantesca.

Assim diz o Partido Comunista Português que está este fim-de-semana reunido em congresso (via: Pedro Correia). A coisa merece tributo:

 

 

Alguém quer encomendar a sua:

publicado por Jorge A. às 00:34
link do post | comentar
10 comentários:
De António de Almeida a 30 de Novembro de 2008 às 11:06
-Claro está que não poderia deixar de concordar com o PCP, pelo que também lhes coloquei um tributo.
De Maldonado a 30 de Novembro de 2008 às 11:25
Não vaticino nada de bom neste congresso do PCP. :/
O PCP não mudou nada desde o fim da Guerra Fria, mantendo-se fiel a uma ideologia defunta: o marxismo-leninismo.
As ideias de Marx são interessantes, mas carecem de actualização, coisa que os comunistas nunca permitiram, tendo reprimido sempre quem se afastasse dos dogmas de Moscovo.
Um exemplo vivo de como é possível inovar o marxismo é a Escola de Frankfurt, que na altura foi desdenhosamente denominada de revisionista.
Temos que procurar transformar o mundo em vez de contemplá-lo, parafraseando Marx, pois as ideias são bonitas, mas se não são postas em prática, não passam duma declaração de intenções...
Tens bom gosto: estas miúdas são boas como o milho... :))
De Jorge A. a 30 de Novembro de 2008 às 14:34
"Tens bom gosto: estas miúdas são boas como o milho... :))"

Se as t-shirts viessem acompanhadas das miúdas era valor acrescentado...

"As ideias de Marx são interessantes"

Interessantes? Maldonado, interessante é tentar perceber como alguém com ideias tão completamente erradas influenciou tantos durante o século XX e ainda hoje é levado a sério por outros.

http://www.econlib.org/library/Enc/Marxism.html
De Maldonado a 30 de Novembro de 2008 às 14:54
Sim, são interessantes porque eram arrojadas para a época.
Está mais que visto que a "mão invisível" é uma ilusão ainda pior que a de Deus. Portanto, é necessário regular-se o capitalismo, senão o mesmo torna-se selvagem...
Por vontade de muitos capitalistas, os trabalhadores laborariam durante 20 horas sem direito a qualquer salário. Temos o exemplo dos nossos azeiteiros que se dizem empresários, cujas empresas, assentes em mão-de-obra barata (por vezes ilegal) e maquinaria de 5ª categoria, servem apenas para financiar os seus caprichos e luxos...
O capitalismo um dia findará, pois não é eterno nem divino, dando a lugar a um sistema económico mais justo e mais humano.
De Jorge A. a 30 de Novembro de 2008 às 16:10
Maldonado,

"Está mais que visto que a "mão invisível" é uma ilusão ainda pior que a de Deus."

Eu não sei onde é que isso está à vista. Aquilo a que Adam Smith se referia como mão invisível, os mecanismos pelo qual o mercado actua e procura equilibrios, são uma realidade.

"Portanto, é necessário regular-se o capitalismo, senão o mesmo torna-se selvagem..."

É necessário regular? Mas não havia regulação até agora? O quê que é o capitalismo caro Maldonado? Também é selvagem como o liberalismo? O que entende por selvagem?

"Por vontade de muitos capitalistas, os trabalhadores laborariam durante 20 horas sem direito a qualquer salário."

Os capitalistas, esses mauzões que criam empregos. E os trabalhadores, outros mauzões, que pelos vistos também tem vontade, tal como os capitalistas, e que não aceitam trabalhar sem salário. Maldonado, isso é conversa de cassete, se me desculpa. Eu hoje sou um trabalhador, se amanhã com o dinheiro que arrecado criar um negócio e tornar-me patrão passo a ser um dos maus, é isso Maldonado? Quer acabar com a propriedade privada maldonado? O quê que você defende propriamente? Essa diabolização dos capitalistas e homenagem ao povo trabalhador é uma estupidez.

"O capitalismo um dia findará, pois não é eterno nem divino, dando a lugar a um sistema económico mais justo e mais humano."

Quer sistema mais justo e mais humano do que aqueles em que os trabalhadores da Google ou da Microsoft trabalham? Sistema mais justo e mais humano do que aquele que tirou milhões de pessoas da pobreza?
De Jorge A. a 30 de Novembro de 2008 às 16:30
Sabe caro Maldonado,

a ler os seus comentários pergunto-me se alguma vez leu Adam Smith ou Karl Marx. Fazia bem lê-los, porque ambos fazem parte da história do pensamento económico e ajudava-lhe a compreender melhor onde Marx falhou em toda a linha e mais não fez do que meia dúzia de considerações estúpidas e desfazadas da realidade, ou como Smith nunca foi, apesar de tudo, um defensor acérrimo do "laissez-faire".

Curiosamente, ou então não, parte da base económica de Marx era suportada em algo que Adam Smith também acreditava, a teoria do valor-trabalho, hoje totalmente desacreditada junto da maioria dos economistas.

Enquanto Marx andava com as suas ideias "arrojadas", como você lhes chama, outros andavam a preparar a revolução marginalista:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%A3o_marginalista
De Maldonado a 30 de Novembro de 2008 às 21:03
Por acaso já os li, tanto por auto-didáctica, pois sempre gostei de ciências sociais (sobretudo História, Sociologia e Filosofia) como por obrigação académica. E confesso que Marx não me é estranho, pois conheço as suas ideias desde a adolescência, e já lá vão mais de quinze anos, porém, isso não quer dizer que concorde a 100 % com elas, visto que, como eu disse num comentário atrás, foram arrojadas para a época, mas que carecem de actualização e melhorias em determinados aspectos.
Obviamente que o capitalismo cria desigualdades sociais, pois a realidade demonstra que a excessiva riqueza duns cria a imensa pobreza de outros. Vide o caso do Terceiro Mundo e das actuais relações económicas entre os países desenvolvidos e subdesenvolvidos, que constatei in loco há muitos anos atrás...
Ninguém é papão, nem os empregadores nem os assalariados. Ambos são importantes agentes do processo económico de qualquer sociedade. Porém, deve existir um certo equilíbrio no mesmo, coisa que não existe em Portugal, sobretudo nas PME's, as quais sendo a maioria das empresas, contribuem para o nosso estado de coisas, visto que os seus detentores não têm uma visão empresarial estratégica, mas tão-somente imediatista, diria antes azeiteira: querem enriquecer a curto prazo. Pronto, isso é um assunto que daria muito pano para mangas, por isso não me vou estender a fim de não criar animosidade...
Para que fique esclarecido, caro Jorge, não sou comunista, mas antes progressista e humanista, que não compactua com o actual estado de coisas vigente no nosso país e no resto do mundo. E não acredito que as ideias da chamada direita, tanto ao centro como ao extremo, sejam a solução para se sair da crise do sistema capitalista...
De Jorge A. a 30 de Novembro de 2008 às 22:04
"Por acaso já os li"

Eu nem devia ter colocado a questão, nem isso era relevante para a discussão. Culpa minha.

"foram arrojadas para a época, mas que carecem de actualização e melhorias em determinados aspectos."

Mas é esse o meu ponto, não há arrojo nenhum em ideias sem sentido. Mais arrojados foram todos aqueles que, por exemplo, deram lugar à revolução marginalista na economia. Nada do que Marx disse permitiu avançar na organização da sociedade, nada. Esse é o problema das ideias "arrojadas" do homem.

"Obviamente que o capitalismo cria desigualdades sociais"

Mas de onde vem a obsessão com a igualdade? A ideia da igualdade é uma utopia, a começar no facto de que as pessoas não são efectivamente iguais nem em capacidade nem em defeitos.

"pois a realidade demonstra que a excessiva riqueza duns cria a imensa pobreza de outros."

O jogo de soma nula. Esse é um dos erros tipicos no pensamento anti-capitalista, o de não perceber que todos podem ficar mais ricos e ganham com isso. Outra questão é se na criação de riqueza a mesma não se reparte igualmente entre todos os sectores, mas a criação de riqueza é sempre preferível ao seu contrário.

"Vide o caso do Terceiro Mundo e das actuais relações económicas entre os países desenvolvidos e subdesenvolvidos"

E você acha que isso é culpa do capitalismo? Como é que no sudoeste asiático se tiraram milhões de pessoas da pobreza? O que acontece hoje nos países de leste da europa? O que lhe diz o Zimbabwe? O problema dos países de terceiro mundo tem vários motivos e não vejo onde o capitalismo seja para lá chamado. o capitalismo não é responsável pela falta de organização politica nesses paises e muito menos pela não adopção por parte dos países desenvolvidos de politicas de comércio livre no que toca aos bens agricolas.

"visto que os seus detentores não têm uma visão empresarial estratégica, mas tão-somente imediatista, diria antes azeiteira: querem enriquecer a curto prazo."

A fraca qualidade do corpo empresarial português pode ser um facto, mas também eu poderia dizer que muitos dos trabalhadores não querem trabalho, querem antes emprego, e por aí adiante. Eu não culpo sectores especificos pela nossa situação, culpo a sociedade num todo.

"Pronto, isso é um assunto que daria muito pano para mangas, por isso não me vou estender a fim de não criar animosidade..."

Maldonado, eu sou sempre aguerrido no debate, mas animosidade não é coisa que exista por aqui - podemos concordar em discordar, mas não deixemos de dizer o que pensamos só para não "ferir" o adversário. :)

Mas concordo que é um assunto que dê pano para mangas. Por exemplo na questão do empresariado português, convinha perceber quais as relações dos grandes empresários com o poder central, e dos pequenos com o poder municipal, e como estas relações minam a economia nacional e permitem que incapazes mantenham empresas abertas. Agora, não venha discutir isso comigo como se tal servisse de critica ao capitalismo.

"E não acredito que as ideias da chamada direita, tanto ao centro como ao extremo, sejam a solução para se sair da crise do sistema capitalista..."

Para resolver a "crise do sistema capitalista" seria bom perceber o que levou à mesma, coisa que apesar de tudo não está explicado (inclusive por aqueles que agora se denominam como videntes, que adivinharam a crise faz muito e coisa e tal).

Mas o capitalismo sempre presupôs a existência de ciclos económicos:
http://en.wikipedia.org/wiki/Economic_cycles

Se não foi a crise de 1930 a matar o capitalismo, também não será a actual a matá-lo.
De Maldonado a 30 de Novembro de 2008 às 23:45
Para que esta vexata quaestio não se prolongue mais, vou ser sucinto:


1 "Mas de onde vem a obsessão com a igualdade? A ideia da igualdade é uma utopia, a começar no facto de que as pessoas não são efectivamente iguais nem em capacidade nem em defeitos."

Concordo contigo. Contudo, tem de haver justiça para quem não é igual em capacidades nem em defeitos...
E não tenho nenhuma obsessão pela igualdade, é apenas uma nobre aspiração de quem ama o género humano...



2. "O jogo de soma nula. Esse é um dos erros tipicos no pensamento anti-capitalista, o de não perceber que todos podem ficar mais ricos e ganham com isso. Outra questão é se na criação de riqueza a mesma não se reparte igualmente entre todos os sectores, mas a criação de riqueza é sempre preferível ao seu contrário."

Duvido que no sistema capitalista todos possam ficar ricos, pois é um contra-senso: a riqueza é tão escassa quanto os seus bens...
Concordo contigo quanto à criação de riqueza. No entanto, esta deve ser justamente repartida a fim de não criar focos de exclusão social.



3. "E você acha que isso é culpa do capitalismo? Como é que no sudoeste asiático se tiraram milhões de pessoas da pobreza? O que acontece hoje nos países de leste da europa? O que lhe diz o Zimbabwe? O problema dos países de terceiro mundo tem vários motivos e não vejo onde o capitalismo seja para lá chamado. o capitalismo não é responsável pela falta de organização politica nesses paises e muito menos pela não adopção por parte dos países desenvolvidos de politicas de comércio livre no que toca aos bens agricolas."

O Sudoeste Asiático e o Leste europeu são tristes exemplos do capitalismo selvagem. São países que se deslumbram facilmente com a ideia de que toda a gente pode ficar rica num ápice.
Quanto ao Zimbabué, as causas são essencialmente culturais e históricas. A realidade de África é demasiado complexa para que possa ser analisada em conceitos ocidentais...



4. "A fraca qualidade do corpo empresarial português pode ser um facto, mas também eu poderia dizer que muitos dos trabalhadores não querem trabalho, querem antes emprego, e por aí adiante. Eu não culpo sectores especificos pela nossa situação, culpo a sociedade num todo."

Relativamente ao que dizes sobre os trabalhadores portugueses, é um cliché tipicamente conservador, que é infundado, visto que a realidade dos trabalhadores portugueses no estrangeiro o desmente. E de facto a culpa do nosso marasmo está na nossa mentalidade, a qual continua a ser rústica e provinciana, como no tempo do ti António...



5. "(...) na questão do empresariado português, convinha perceber quais as relações dos grandes empresários com o poder central, e dos pequenos com o poder municipal, e como estas relações minam a economia nacional e permitem que incapazes mantenham empresas abertas. Agora, não venha discutir isso comigo como se tal servisse de critica ao capitalismo."

Não vou repetir o que já disse acerca da questão do empresariado português neste blog:

http://contrastesebipolaridades.blogspot.com/2008/10/motivem-se.html

http://contrastesebipolaridades.blogspot.com/2008/10/chapa-ganha-chapa-gasta.html

Tira as tuas conclusões...



6. "Se não foi a crise de 1930 a matar o capitalismo, também não será a actual a matá-lo."

Nem mais! :)



E fico por aqui, pois a discussão desta questão daria um livro... ou um filme indiano. :))
De Jorge A. a 1 de Dezembro de 2008 às 00:37
"E fico por aqui, pois a discussão desta questão daria um livro... ou um filme indiano. :))"

Fair enough. Mas um filme indiano definitivamente não - que isto de ter cenas cantadas a cada dez minutos com grandes coreografias é bom para o espectáculo, mas é mau para o desenvolvimento de um bom argumento. ;)

Comentar post

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Mais sobre mim

Contacto

jorgeassuncao@europe.com

Subscrever feeds

Pesquisar neste blog

Links

Arquivos

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Secções

desporto(383)

politica nacional(373)

cinema(291)

economia(191)

música(136)

ténis(132)

humor(131)

futebol(130)

eleições eua(118)

estados unidos(115)

portugal(115)

blogs(109)

miúdas giras(93)

jornalismo(88)

politica internacional(87)

governo(79)

televisão(74)

blogosfera(69)

oscares(68)

pessoal(55)

todas as tags

blogs SAPO