4 comentários:
De Tiago R Cardoso a 27 de Novembro de 2008 às 20:01
correcto.

O ser humano é capaz de fazer coisas como as que assistimos, eu gostava de saber como é que ainda existe o mundo?
De Ana Gabriela A. S. Fernandes a 28 de Novembro de 2008 às 13:00
De acordo. O medo alimenta este tipo de violência. Dá-lhe poder, exactamente o que procura. Como fazer prevenção (e aí precisamos das secretas todas e bem articuladas) e conseguir manter a tranquilidade, vai ser o grande desafio. Construir uma cultura de paz (a começar pela interior, pela mais próxima, das comunidades) é, a meu ver, a melhor forma de neutralizar esta tipo de violência que se alastra em tempos mais caóticos. Será necessário, no entanto, enfrentar a situação com mais verdade e de forma mais eficaz. Antes do 11 de Setembro tentou-se desalojar, das suas tocas (penso que no Afeganistão e Paquistão), o que se pensava ser a cabeça da rede. Depois, virou-se geograficamente para o Iraque! Recentemente Obama focou a atenção de novo para a cabeça (ainda que simbólica) da rede, nessa localização, e surgem estes ataques, sincronizados, no coração financeiro da Índia, e com alvos preferencialmente ocidentais... Cumprimentos.
De Jorge A. a 28 de Novembro de 2008 às 21:15
"Antes do 11 de Setembro tentou-se desalojar, das suas tocas (penso que no Afeganistão e Paquistão), o que se pensava ser a cabeça da rede. Depois, virou-se geograficamente para o Iraque!"

Eles tentaram e continuarão a tentar é apanhar o Bin Laden, como figura simbólica, mas o problema destas redes é exactamente esse - não têm cabeça. Depois, claro, a ida para o Iraque, se na altura ainda podia ter justificação, à luz do que se conhece hoje foi um erro e acabou por criar outra frente de batalha desnecessária.

"Recentemente Obama focou a atenção de novo para a cabeça (ainda que simbólica) da rede"

Para mim o problema com o que Obama promete é que o mundo hoje mudou e eu acho que de certa forma a sua administração vai perceber isso. Como já disse a guerra do Iraque foi um erro porque criou outra frente de batalha na luta contra o terrorismo - mas tendo sido criada essa frente de batalha os americanos agora não a podem simplesmente abandonar.

Cumprimentos e obrigado pelo comentário informado.
De Ana Gabriela A. S. Fernandes a 29 de Novembro de 2008 às 10:53
Olá, Jorge
Obrigada pelo seu esclarecimento tão amável.
Concordo plenamente que a guerra do Iraque foi um erro. Sempre discordei da ideia, fui a Lisboa na altura, como muitos outros, protestar.
Sim, tem razão: estas redes já são autónomas e muito sofisticadas. O mundo alterou-se. Como desabafou ontem um responsável (ou especialista) indiano: "continuamos a lidar com estes fenómenos com estratégias e técnicas do séc XX."
Cumprimentos
Ana

Comentar post