2 comentários:
De António de Almeida a 21 de Novembro de 2008 às 22:52
-Já nem falando na preversidade que representa salvar umas industrias em detrimento de outras. Quem pode moralmente decidir que os empregos na industria automóvel são importantes, logo avança-se com um bailout, mas os postos de trabalho dos mineiros já são pouco importantes, logo recebem guia de marcha para o desemprego.
De Jorge A. a 22 de Novembro de 2008 às 12:11
Exacto. Mas para a mim a primeira questão levantada nem se coloca nesses termos - qual dos sectores ineficiente salvar - a questão primeira e última que devia ser colocada é: porquê desviar recursos de sectores eficientes para ineficientes (que na prática é o que o bailout significa). E é primeira e última porque o problema ficava por aqui. Como alguém uma vez disse, o problema nestas coisas é que quem precisa de apoio, não devia ser apoiado, e quem deve ser apoiado, não precisa de apoio.

Comentar post