Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Despertar da Mente

"Democracy and socialism have nothing in common but one word, equality. But notice the difference: while democracy seeks equality in liberty, socialism seeks equality in restraint and servitude." Alexis de Tocqueville

"Democracy and socialism have nothing in common but one word, equality. But notice the difference: while democracy seeks equality in liberty, socialism seeks equality in restraint and servitude." Alexis de Tocqueville

Despertar da Mente

08
Nov08

Guerra o Ano Todo

Jorge A.

Professores prometem "guerra o ano todo" e admitem antecipar greve nacional

 

Também prometem que vão tentar ensinar, mas não se comprometem. Já não bastava a escola ser muitas vezes um campo de batalha entre alunos e professores, também o é agora entre professores e ministério. Tenho a certeza que isto trará beneficios para o nosso ensino. Gosto especialmente deste parágrafo da noticia:

Considerando "inadmissível" que a ministra da Educação tenha hoje recusado suspender a aplicação do modelo de avaliação, o secretário-geral da Fenprof apelou ainda aos docentes para serem eles a fazê-lo, na prática, parando nas escolas todos os procedimentos relacionados com este processo.

Os professores não querem respeitar a autoridade da ministra, acho bem. Mas eu já aqui me voluntario para atirar o primeiro tomate ao professor que, seguindo a recomendação da Fenprof, venha com a conversa que os alunos não respeitam a sua autoridade.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Jorge A. 09.11.2008

    Tiago,

    não sei é até que ponto o que se passa agora é só por culpa dos sindicatos. Dificilmente os sindicatos só por si conseguiam mover dezenas de milhar de pessoas para a rua. Agora, há um problema que se coloca e que prende-se necessariamente com a negociação sindical em Portugal. Os governos quando tem de negociar aumentos salariais, etc... fazem-no com os sindicatos do sector. Mas na maior parte das vezes os sindicatos não representam muito mais do que posições minoritárias junto dos trabalhadores do sector (qual é a percentagem de professores sindicalizados?). A minha pergunta é: não faria sentido neste caso os professores todos elegerem em votação quem é que queriam a representá-los?

    Dado que é uma batalha transversal a praticamente todos os professores faria certamente mais sentido. Os sindicatos e os seus dirigentes submeteriam-se a votação, junto com pessoas independentes. Uma coisa tenho a certeza, seria certamente uma representação muito menos politico-partidária, e por conseguinte melhor representante do que são os efectivos interesses dos professores. Mas, claro, lá está, isto implica uma mudança de mentalidade sobre as negociações laborais em Portugal que foge ao quadro pré-estabelecido.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Links

  •  
  • Outras Casas

  •  
  • Blogs

  •  
  • Em Inglês

  •  
  • Think Tank

  •  
  • Informação

  •  
  • Magazines

  •  
  • Desporto

  •  
  • Audiovisual

  •  
  • Ferramentas

    Arquivo

    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2009
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2008
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2007
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2006
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D