6 comentários:
De Livia Borges a 5 de Novembro de 2008 às 17:01
Para quem propagandeia o não voto, acho no minimo curioso tanta atenção à politica. E ainda por cima, à politica dos outros.
Vêm ai novos tempos, é certo.
Só duvido que muede alguma coisa de extraordinário. A ver vamos...
De Jorge A. a 5 de Novembro de 2008 às 17:31
Livia,

"Para quem propagandeia o não voto, acho no minimo curioso tanta atenção à politica."

Achas que a politica reduz-se ou esgota-se no voto? Dás-te ao menos ao trabalho de perceber o que digo sobre a valorização do voto? Eu não digo que as politicas e as escolhas que o povo faz devem ser subvalorizadas, o voto único e marginal de um eleitor assim considerado é que tem importância e relevância praticamente nula.

Sobre a eleição de ontem aquilo que mais muda é um estado de espirito, quer dos americanos, quer do mundo. Não por acaso o economista Alex Tabarrock, 42 anos de idade, um dos que refiro no meu post sobre a sobrevalorização do voto, escreveu o seguinte post:

http://www.marginalrevolution.com/marginalrevolution/2008/11/i-voted.html

"I voted
First time, ever."
De Maldonado a 5 de Novembro de 2008 às 22:54
Acredito que Obama não vá decepcionar os americanos que criaram expectativa na sua irradiante mensagem de esperança.
Ele não terá a vida facilitada, pois terá que enfrentar com pulso firme a crise financeira que assola o seu país e o mundo bem como a constante ameaça do terrorismo islâmico.
O seu discurso de vitória é bastante tocante, pois nele subjaz optimismo e concórdia. Ao ter apelado à colaboração de Mc Cain, demonstrou uma grande nobreza de cáracter que se deve esperar do presidente de todos os americanos, sejam brancos, negros, latinos ou asiáticos...
É um grande homem que tem tudo para ser um grande presidente.
Yes we can!
De Jorge A. a 6 de Novembro de 2008 às 01:34
"O seu discurso de vitória é bastante tocante, pois nele subjaz optimismo e concórdia."

O discurso de derrota de McCain não foi-o menos. Foi uma noite que fechou com dois grandes discursos.
De Francisco Castelo Branco a 5 de Novembro de 2008 às 23:59
Penso que o discurso do "change" e do "Yes, We Can"; dificilmente terá aplicação no futuro

Adivinham-se tempos dificeis para os EUA e para o Mundo.....

Poderá haver mais dialogo, mais abertura , mas quando Obama tiver que enfrentar situações complicadas irá recorrer ao expediente da força

penso eu...
De Jorge A. a 6 de Novembro de 2008 às 01:41
Caro Francisco,

"Penso que o discurso do "change" e do "Yes, We Can"; dificilmente terá aplicação no futuro"

Feche Obama Guantanamo e revogue o Patriot Act e é "change enough" para mim. Quanto à politica externa é como já disse anteriormente, com Obama o internvencionismo não deverá acabar, mas espera-se maior ponderação em possiveis intervenções - também é "change enough" para mim.

O que me preocupa é o que a "change" signica em termos económicos...

Comentar post