4 comentários:
De António de Almeida a 12 de Outubro de 2008 às 00:57
-Negociou o Kosovo, esse grande plano de paz que terminou com a declaração de independência unilateral por parte de um estado financiado pelo tráfego de armas. Mas tem carreira na negociação de processos de paz, reconheço. E concordo com a sua análise, sem retirar os méritos que o sr . possa ter, julgo que terá existido pressão da China para o prémio não ir direitinho para o império do meio.
De Jorge A. a 12 de Outubro de 2008 às 01:45
"E concordo com a sua análise, sem retirar os méritos que o sr . possa ter, julgo que terá existido pressão da China para o prémio não ir direitinho para o império do meio."

Concordo. O chinês Hu Jia seria um mais que merecido vencedor - tendo em conta as pressões exercidas pelos chineses para que este não ganhasse, da suspeita de cedência aos interesses chineses o comité do Nobel já não se livra.
De Tiago R Cardoso a 12 de Outubro de 2008 às 09:24
num breve sondagem aqui pelo meus mais chegados, ninguém sabe quem é o senhor e o que fez.

concordo, um desperdício.

Também não seria de esperar muito depois que atribuíram o Nobel ao senhor Gore...
De Jorge A. a 12 de Outubro de 2008 às 12:28
"num breve sondagem aqui pelo meus mais chegados, ninguém sabe quem é o senhor e o que fez."

Quase ninguém sabe, mesmo entre pessoas normalmente bem informadas. E o meu ponto aqui não é o de que o Nobel deve ser atribuido a pessoas conhecidas, mas pelo menos a pessoas envolvidas em causas que as pessoas facilmente identifiquem (e atribuam valor). Hu Jia não é mais conhecido do que Martti Ahtisaari, mas o primeiro deixaria impacto, o segundo passou despercebido.

Comentar post