2 comentários:
De Tiago R Cardoso a 25 de Setembro de 2008 às 21:00
No caso concreto de Mcain ou Obama, penso que realmente para a Europa os resultados serão indiferentes.

Mcain manterá a actual politica, Obama será flexível, negociará, mas parece-me que os lobis americanos lhe dariam o que fazer.

Não acredito em nenhum deles, nem muito menos de esquerda e direita americana.
De Jorge A. a 25 de Setembro de 2008 às 23:24
"No caso concreto de Mcain ou Obama, penso que realmente para a Europa os resultados serão indiferentes."

Talvez, e é certo que muitos dos que na esquerda agora apoiam Obama, rapidamente voltarão a perder o encanto e a virar-se para o discurso típico anti-americano.

"Mcain manterá a actual politica, Obama será flexível, negociará, mas parece-me que os lobis americanos lhe dariam o que fazer."

A questão dos lobis americanos vem sempre à baila, mas grupos de pressão existem em todos os países do mundo, a questão é saber como actuam. Nos EUA, dada a transparência do sistema, as acções dos grupos de pressão são mais escrutinadas. No fim, cria a impressão que lá os lobis dominam o sistema mais do que noutras partes do mundo, puro engano... na minha opinião é precisamente o contrário. Basta pensar na ligação entre o PSD e a Somague... no fim foi tudo abafado. Porquê?

"Não acredito em nenhum deles, nem muito menos de esquerda e direita americana."

No sistema politico americano parte das elites do partido democrata não andam muito afastados daquilo que é a direita social democrata portuguesa, mas isso tanto pode ser interpretado como inexistência de esquerda nos EUA, como pode ser interpretado como inexistência de direita em Portugal. No fim, contudo, o que conta é a sociedade, e nesse aspecto a sociedade americana é claramente influenciada pela defesa da liberdade individual, a religião e a defesa do capitalismo enquanto sistema económico (sim, bem sei, os últimos factos que por lá se produzem vem contra este último ponto).

Comentar post