6 comentários:
De commonsense a 19 de Julho de 2008 às 17:37
E enquanto não chega lá, está a ser financiado por mim e por muitos outros que contribuem com qualquer coisinha.
De Jorge A. a 19 de Julho de 2008 às 19:14
commonsense,

pena que na sociedade portuguesa sejam certamente menos os financiadores que os receptores. E maior pena ainda tenho que existam tão poucos financiadores de livre vontade - a filantropia, por exemplo, é limitada a uma ou outra instituição, mas muito pouco para aquilo que a pobreza no país exigia.
De commonsense a 19 de Julho de 2008 às 19:58
A redistribiução fiscal não é um mal em si. Pelo contrário, é um bem, desde que não seja quantitativamente excessiva, e não seja captada e distribuída de modo injuto.

Sucede que em Portugal todos estes defeitos se verificam: é excessiva, captada a partir de quem não devia suportá-a sem atingir quem devia e, sobretudo, beneficia quem não devia ser subsidiado e coisas que não deviam ser subsidiadas.

Além de ser económicamente nociva, é socialmente injusta e pessoalmente indutora de vícios de subsídio-dependência.

Concordo consigo quando fala do «monstro».
De Jorge A. a 19 de Julho de 2008 às 20:10
"Sucede que em Portugal todos estes defeitos se verificam"

Tive um professor que dava um exemplo perfeito da situação portuguesa. Se o Estado pegasse em todo o dinheiro cobrado e o distribuisse atirando esse mesmo dinheiro de um helicópetero que sobrevoasse o país de uma ponta à outra, a probabilidade de sobrar mais para os pobres era maior do que a situação actual.
De serotonina a 25 de Julho de 2008 às 16:33
Ou para financiar novos apartamentos para os senhores ciganos que não querem voltar para um bairro que tenha pretos, ou para financiar a polícia especiais que por lá faz vigilâncias de 24 horas.
De Jorge A. a 26 de Julho de 2008 às 20:04
"Ou para financiar novos apartamentos para os senhores ciganos que não querem voltar para um bairro que tenha pretos"

Não digas isso, mais logo até parece que os estás a chamar racistas... ;)

Comentar post