5 comentários:
De Miguel a 28 de Abril de 2008 às 15:48
Decreto-Lei 62/2006:

Artigo 7º
3 - Os pequenos produtores dedicados devem comunicar à Direcção-Geral de Geologia e Energia (DGGE) e à Direcção-Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo (DGAIEC), até ao final dos meses de Janeiro, Abril, Julho e Outubro, as quantidades de biocombustíveis e ou de outros combustíveis renováveis por si produzidas no trimestre anterior, bem como a identificação dos consumidores e das respectivas quantidades que lhes tenham sido entregues.
4 - O reconhecimento como pequeno produtor dedicado está sujeito a despacho conjunto do director-geral de Geologia e Energia e do director-geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo.

Artigo 14.º
1 - Constitui contra-ordenação punível com coima de (euro) 500 a (euro) 3740, no caso de pessoas singulares, e de (euro) 2500 a (euro) 44891, no caso de pessoas colectivas:
a) A violação das quotas mínimas previstas no n.º 2 do artigo 5.º;
b) A violação do disposto nos n.os 1, 3 e 4 do artigo 6.º;
c) A violação do disposto no n.º 4 do artigo 7.º e no artigo 11.º;
d) A violação do disposto no n.º 1 do artigo 9.º;
e) A violação do disposto no n.º 1 do artigo 10.º
2 - A negligência e a tentativa são puníveis.

Artigo 15.º
A instrução dos processos de contra-ordenação, instaurados no âmbito do presente decreto-lei, compete à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica e a aplicação das correspondentes coimas e sanções acessórias compete à Comissão de Aplicação de Coimas em Matéria Económica e Publicidade, sem prejuízo das competências próprias de outras entidades.
De Hugo Jorge a 29 de Abril de 2008 às 15:38
uma triste actuação da asae. afinal a defesa do ambiente não é levada a sério. aproveito para convidar a visitar o meu blog
De Jorge A. a 29 de Abril de 2008 às 23:30
"afinal a defesa do ambiente não é levada a sério."

mas alguma vez foi levada a sério? Politiquices...
De afronauta a 29 de Abril de 2008 às 22:58
Eu nem quero imaginar se a ASAE fiscalizasse o Estado! Fechava por tempo indefinido!
De Jorge A. a 29 de Abril de 2008 às 23:28
"Fechava por tempo indefinido!"

Não perdiamos grande coisa, diga-se...

Comentar post