7 comentários:
De Eo a 23 de Abril de 2008 às 10:34
Ganhaste-me por 1 livro, damn! :p

De qq modo, nota-se a inclinação britânica da lista. Para além dos clássicos que referiste (já sem falar de Camões ou Pessoa por menor projecção internacional) falta, por exemplo, Rimbaud. Imperdoável, considerando a revolução que provocou na poesia e a influência que ainda causa.
De Jorge A. a 24 de Abril de 2008 às 02:03
"nota-se a inclinação britânica da lista."

De facto.

"já sem falar de Camões ou Pessoa por menor projecção internacional"

Do Camões desgosto, dentro do seu género houve melhores a nível internacional (isto para não dizer que nada teve de original), já Pessoa é outra história... o meu poeta favorito, entre os tugas e restantes.

"falta, por exemplo, Rimbaud."

Tendo em conta que a lista foi feita por ingleses...

E numa lista com o devido destaque à nossa lingua, a portuguesa, certamente que o Eça e o magnifico "Os Maias" não faltaria...
De Livia Borges a 24 de Abril de 2008 às 09:42
Realmenet, demasiado anglo saxónico.
Falta, de facto, Camões e falta Cervantes.
Engraçado estar lá Le Morte d'Arthur e não estar Alfred Lord Tennyson (!).
De Jorge A. a 24 de Abril de 2008 às 23:14
"Falta, de facto, Camões e falta Cervantes."

Resumindo, falta muita gente. Mas quanto a Camões mantenho a discórdia, a obra de Camões é uma obra menor quando comparada com a grandiosidade da "Divina Comédia" de Dante (onde, aliás, Camões foi beber muita influência).

Já Pessoa é, em sí, único e com um estilo incomparável a qualquer outro, em Portugal ou no estrangeiro.
De serotonina a 24 de Abril de 2008 às 17:48
20
De Jorge A. a 24 de Abril de 2008 às 23:17
He... he... 20 em 110 não está mal. Estava aqui inclinado a dizer que a idade pesa nestas coisas... mas como ainda podias pensar que te estava a adjectivar de velha, não digo... ;)
De serotonina a 27 de Abril de 2008 às 21:26
lol lol! Pois era o que era para ter dito quando respondi ao post. A idade às vezes tem vantagens, poucas mas ainda tem algumas! lol!

Comentar post