Quinta-feira, 19 de Abril de 2007

Observando

Uma das coisas que me fascina na opinião sobre os Estados Unidos de muitas pessoas, é o seu sentido de ajuda para com os americanos - o que por si só, revela em certa medida, como ainda os tomamos por nossos amigos. Porque só a um amigo, é que estamos tão prontamente dispostos a ajudar.
No dia em que nos States é feito um atentado brutal com armas de fogo, logo nos prontificamos a explicar-lhes que o mal está na sua legislação permissiva sobre a posse de armas de fogo. Da mesma forma, não falta aqueles que decidem apoiar o amigo, explicando que a legislação destes até não será o seu maior problema, nem a explicação para o problema ocorrido.
Ficamos então a saber que os portugueses (e os europeus, já agora) gostam de discutir os problemas internos dos americanos, e que certamente, só porque não podem, é que não votariam nas eleições para a eleição do futuro presidente norte-americano.
Eu nem me estou a colocar como excepção... aliás, se há coisa que gosto de discutir, é sobre o modo de funcionamento da sociedade americana. Só estou a pôr as coisas em perspectiva.
Se podessemos, de livre vontadade, muitos de nós abdicávamos secretamente do nosso voto nas eleições nacionais se, em contrapartida, nos concedessem a possibilidade de votar em alguém que realmente pode mudar as coisas no mundo.
Isto porque, de um modo geral, poucos acreditam que o voto nacional sirva para mudar aquilo que realmente nos devia interessar: as nossas condições de vida e o futuro das gerações futuras.
Num país very very boring como o nosso, onde tudo é cinzento, e onde os politicos muito prometem e pouco fazem. Onde a discussão sobre a União Europeia, por exemplo, é quase posta de lado - e esta nos dias de hoje influencia mais a minha vida do que um qualquer governo eleito (basta verificar como os últimos governos ficaram reféns do Pacto de Estabilidade e Crescimento) - é normal que as pessoas virem-se para outras discussões, e achem normal, num país com tantos problemas como o nosso, focar o debate público em torno dos problemas de outros.
Pior que isso, o debate sobre os outros, gira, invariavelmente, sobre os seus problemas e sobre aquilo que têm de mau. Mas já que gostamos tanto de falar sobre os outros, era bom que também viesse à baila o que os outros têm de bom (e há tanta coisa) - e que aprendessemos algo com eles.
Dizemos que os americanos não sabem onde fica Portugal, acredito... afinal de contas, e pelo que sei, ainda não surgiu nenhuma noticia na imprensa norte-americana a dar destaque aos casos internos que tem abalado o nosso pequeno pais. É a vida. Nós, tão bons amigos, logo nos prontificamos a reflectir em conjunto com os nossos amigos sobre os seus problemas, e eles, maus amigos, não nos ligam nenhuma...
Secções:
publicado por Jorge A. às 20:37
link do post | comentar
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Mais sobre mim

Contacto

jorgeassuncao@europe.com

Subscrever feeds

Pesquisar neste blog

Links

Arquivos

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Secções

desporto(383)

politica nacional(373)

cinema(291)

economia(191)

música(136)

ténis(132)

humor(131)

futebol(130)

eleições eua(118)

estados unidos(115)

portugal(115)

blogs(109)

miúdas giras(93)

jornalismo(88)

politica internacional(87)

governo(79)

televisão(74)

blogosfera(69)

oscares(68)

pessoal(55)

todas as tags

blogs SAPO