12 comentários:
De manuel gouveia a 29 de Março de 2009 às 17:53
Estamos numa onda de patins... Então neste país ninguém se demite! E mesmo que se demitisse acontecia-lhe o mesmo que aos autarcas bandidos: era reeleito por um povo buçal, mas feliz!
De Jorge Assunção a 30 de Março de 2009 às 19:10
O povo é infeliz Manuel, não encontra é alternativa.

De manuel gouveia a 30 de Março de 2009 às 20:11
Claro que existe alternativa, basta votar fora do "S"!
De Daniel João Santos a 29 de Março de 2009 às 19:59
No rabo?

Vai ser dificil.
De commonsense a 29 de Março de 2009 às 22:11
Cada dia que passa é um dia a mais.
Mas, a verdade é que, bem ou mal, existe um quase consenso no sentido da sua insubstituibilidade.
Não é se é criado por manipulação mediática, ou se induzido pela natural falta de geito de MFL, mas este tem sido um factor de enquistamento de Sócrates.
Seja como for, estou completamente de acordo: depois de Santana Lopes parecia que nada podia ser pior: afinal não era verdade.
De Jorge Assunção a 30 de Março de 2009 às 19:14
Exactamente. A sua insubstituibilidade resulta do facto de ninguém aparentar ter modelo alternativo ao actual e, dentro do actual modelo, Sócrates ainda parece que é o que dá mais confiança. Mas o factor pelo qual eu pretendo ver Sócrates posto a correr não é pela má governação que lhe atribuo, mas porque o homem, pelo menos, não aparenta ser sério - e numa sociedade decente isso seria valorizado.
De António de Almeida a 29 de Março de 2009 às 23:28
Há que ter esperança na investigação jornalística, porque a outra deverá muito em breve ser arquivada. Também Nixon foi sistematicamente desmentindo, até que não teve mais hipótese, Sócrates até poderá ganhar as legislativas e ser obrigado à demissão mais tarde.
De Jorge Assunção a 30 de Março de 2009 às 19:15
António,

"Há que ter esperança na investigação jornalística"

o que a investigação jornalistica apurou já devia ser suficiente para ele cair. Não tendo caido até aqui, suspeito que não mais cairá. Estamos perante uma Fátima Felgueiras versão nacional. E o povo vota neles, o que se pode fazer? Nada.
De Livia Borges a 30 de Março de 2009 às 10:36
Demitir para quê? Isso não funciona neste pais...
Veja-se o caso do Jorge Coelho, depois da queda da ponte de Entre-os-Rios. Demitiu-se e depois? Continua aí e já ninguém se lembra.
O sr. PM demite-se e depois há-de conseguir um tacho qualquer como gestor de uma empresa com capitais publicos, a ganhar principescamente e sem levantar ondas e longe dos olhares públicos vai fazendo a sua vidinha à nossa custa, a trabalhar para a sua reforma milionária.
De Jorge Assunção a 30 de Março de 2009 às 19:18
Vai porque não há seriedade neste país. Se houvesse, isso não se passava, pelo menos de forma tão descarada como Armando Vara é máximo exemplo. Se o país fosse sério, nem Sócrates já estava no governo, nem essa situação da politização dos cargos em empresas públicas (e privadas, diga-se), não aconteceria.
De AP a 1 de Abril de 2009 às 07:39
A História já nos provou que é sempre possível fazer pior.
O Sr. Pinto de Sousa aí está para o provar.
(Por isso mesmo os americanos deviam olhar para o nosso caso, para não depositarem tantas esperanças no messias Obama...)
De Jorge Assunção a 1 de Abril de 2009 às 21:26
"Por isso mesmo os americanos deviam olhar para o nosso caso"

AP, os portugueses é que deviam olhar bem para o nosso caso, é que parece-me que a maioria ainda pensa votar no sr. Pinto de Sousa.

Comentar post