Quarta-feira, 30 de Abril de 2008

O Aquecimento Global tirou férias, em 2015 está de volta

Global warming may 'stop', scientists predict


The average temperature of the sea around Europe and North America is expected to cool slightly over the decade while the tropical Pacific remains unchanged. This would mean that the 0.3°C global average temperature rise which has been predicted for the next decade by the UN's Intergovernmental Panel on Climate Change may not happen, according to the paper published in the scientific journal Nature. [...] Noel Keenlyside of the Leibniz Institute of Marine Sciences, Kiel, Germany, said: "The IPCC would predict a 0.3°C warming over the next decade. Our prediction is that there will be no warming until 2015 but it will pick up after that." advertisementHe stressed that the results were just the initial findings from a new computer model of how the oceans behave over decades and it would be wholly misleading to infer that global warming, in the sense of the enhanced greenhouse effect from increased carbon emissions, had gone away.

A evidência empirica dos anos mais recentes vieram contrariar os modelos de computador do IPCC. O catastrofismo do aquecimento global não se faz sentir, no entanto o cidadão comum vê, sabe-se lá por influência de quem e do quê, inúmeras evidências de que o aquecimento global veio para ficar - e pior que isso, a culpa é do homem (estranho masoquismo este!). Os modelos de computador, esses, variam ao sabor da corrente. No presente em nada parecem acertar, ah, mas no futuro... sim, no futuro não falharão. Ou o homem deixa de emitir C02 ou a Terra como a conhecemos deixa de existir... com medo, nem durmo descansado, mas só a partir de 2015.

publicado por Jorge A. às 23:29
link do post | comentar | ver comentários (3)

Um Mito

Naquele programa da RTP N onde se discute futebol, o tipo que representa o Sporting e que devia dedicar-se exclusivamente à elaboração de sondagens, afirmou que Alex Ferguson é um mito. Hoje, no jogo contra o Barcelona, viu-se isso mesmo. Na segunda parte o Barcelona domina a meio campo, o Manchester arrisca-se a sofrer um golo e ser eliminado, Ferguson tira Scholes e Nani e mete Giggs e Fletcher. Como que por magia, o dominio do meio campo deixou de ser dos catalãoes e transferiu-se para os red devils. Um mito... pois sim, tá claro.

Secções: ,
publicado por Jorge A. às 00:49
link do post | comentar
Terça-feira, 29 de Abril de 2008

Passado, presente e futuro

Através do Jorge Ferreira cheguei ao blogue de apoio à candidatura de Pedro Passos Coelho: O Futuro é Agora.

 

Mas a verdade é que com base nas desilusões do passado, e embora no presente tenha clara preferência por Passos Coelho entre os leques dos candidatos ao PSD, o melhor é esperar para ver.

 

Contudo, não queria deixar passar a surpresa e agrado com que encaro o discurso deste. Dando uma vista de olhos ao documento dos valores da candidatura, nota-se ali um piscar de olhos a um sector mais liberal ( "Defendo o indivíduo na plena posse dos seus direitos e deveres, marca essencial da matriz social democrata"; "Quero mais liberdade no espaço público, mais liberdade na actividade económica, mais liberdade na vida privada, mais liberdade no exercício pleno da cidadania"), bem como uma certa inspiração na campanha democrata de Obama (Esperança, Mudança, União).

 

Para seguir com atenção...

publicado por Jorge A. às 23:42
link do post | comentar
Segunda-feira, 28 de Abril de 2008

Preço do Arroz e Comércio Livre

Freer Trade Could Fill the World’s Rice Bowl 

The reality is that many of today’s commodity shortages, including that for oil, occur because ever more production and trade take place in relatively inefficient and inflexible countries. We’re accustomed to the response times of Silicon Valley, but when it comes to commodities production, many of the relevant institutions abroad have only one foot in the modern age. In other words, the world’s commodities table is very far from flat.

 

Poor rice yields are not the major problem. The United Nations Food and Agriculture Organization estimates that global rice production increased by 1 percent last year and says that it is expected to increase 1.8 percent this year. That’s not impressive, but it shouldn’t cause starvation.

 

The more telling figure is that over the next year, international trade in rice is expected to decline more than 3 percent, when it should be expanding. The decline is attributable mainly to recent restrictions on rice exports in rice-producing countries like India, Indonesia, Vietnam, China, Cambodia and Egypt.

 

Lately, it’s become fashionable to assert that, in this time of financial market turmoil, the market-oriented teachings of Milton Friedman belong more to the past than to the future. The sadder truth is that when it comes to food production — arguably the most important of all human activities — Mr. Friedman’s free-trade ideas still haven’t seen the light of day.

publicado por Jorge A. às 00:23
link do post | comentar
Domingo, 27 de Abril de 2008

A Politica e os Cidadãos

Secções:
publicado por Jorge A. às 20:01
link do post | comentar | ver comentários (4)

Xerife de Nottingham

Ericeira multada pelo Estado por utilizar óleos reciclados em carros do lixo

A junta de freguesia da Ericeira foi multada em sete mil euros por utilizar óleos reciclados para mover os carros do lixo, em vez de comprar combustíveis fósseis, pelo que o Estado se considera lesado. O presidente da junta, citado pela TSF, já garantiu que não vai pagar a multa.

Joaquim Casado explicou que há vários anos que recorrem aos óleos usados mas que só agora a Direcção-Geral de Finanças do Ministério da Economia e a Direcção-Geral das Alfândegas o informaram da necessidade de legalizar a produção de biodiesel. “Fiz todos os esforços para me legalizar e, depois de preencher uma série de requisitos, fiquei espantado ao deparar que a quota está esgotada no país”, acrescentou o presidente da junta.

A ASAE multou, assim, a Ericeira em sete mil euros por lesar o Estado ao “deixar de comprar combustíveis fósseis”, não arrecadando este “a percentagem de 50 por cento”.

Robin Hood, where are you? O comodismo das pessoas à forma como o Estado vai actuando, utilizando o seu poder coercivo para nos restringir cada vez mais a liberdade individual e papar-nos mais e mais dinheiro deixa-me preocupado. O Estado faz tudo em nome da justiça fiscal, mas o que o Estado verdadeiramente quer é financiar as suas ineficiências, quando o que devia era acabar com elas. Curioso é como se chegou a uma situação na sociedade portuguesa em que, junto de certos estratos populacionais, a ASAE e o Fisco são exemplos de instituições do Estado que funcionam bem... ora essa, eles funcionam tão bem (que é o mesmo que dizer que funcionam mal) como a maior parte de todos os outros, sem qualquer respeito por aqueles que lhes conferem poder e lhes pagam os salários: os cidadãos e contribuintes portugueses.

publicado por Jorge A. às 18:33
link do post | comentar | ver comentários (5)

Já Faltou Mais

Secções:
publicado por Jorge A. às 16:48
link do post | comentar
Sábado, 26 de Abril de 2008

Heroína

Fuma, bebe, droga-se e agora até agride pessoal à cabeçada o que lhe permite passar uma bela noite na prisão, ah, e para acrescentar à lista consta que também sabe cantar alguma coisinha - coisinha suficiente para arrecadar uns prémios chamados grammy's. Se Winehouse é a heroina da juventude britânica, não é menos verdade que não passa sem heroína.

 

Pelo sim, pelo não, só compro o bilhete para ver a heroína próximo do dia do concerto.

Secções:
publicado por Jorge A. às 23:35
link do post | comentar | ver comentários (3)

Back on Track?

 

Roger vs Rafa in Blockbuster Final

 

Depois da Ferrari em geral e de Kimi Raikonnen em particular terem dominado a qualificação para o grande prémio de Espanha em fórmula 1. Enquanto o Chelsea ganhava ao Manchester United o que obriga estes últimos a ganharem os últimos dois jogos da época para terem a certeza que são campeões. E antes do Benfica ter finalmente voltado a marcar golos na liga ao derrotar o Belenenses por 2-0. Depois, durante e antes disto tudo, Roger Federer ganhava por 6-3 e 3-2 (desistência) a Djokovic no torneio do masters series de Monte Carlo. Realçar que isto verificou-se após ter eliminado nos quartos-de-final Nalbandian pelo excelente parcial de 5-7, 6-2 e 6-2. E isto coloca várias questões interessantes, a saber: a primeira é se Federer após ganhar o Estoril Open está de volta à melhor forma; a segunda a de saber se descobriu alguma arma secreta que forçe a desistência dos seus opositores após um set e meio de jogo; a terceira e mais importante, será Federer capaz de derrotar Nadal novamente em terra batida? Amanhã, se Nadal desisitir após um set e meio de jogo descobrimos que a resposta a todas estas três questões fundamentais é um redondo sim e que o monstro está de volta.  

Secções: ,
publicado por Jorge A. às 21:50
link do post | comentar

Everything but the girl

Para quem lê este blogue será facilmente perceptível que o meu candidato favorito para presidente dos Estados Unidos é Barack Obama. O motivo da minha preferência não será certamente as politicas económicas que o homem propõe, as mesmas são radicalmente diferentes das que defendo. É claro que a posição de Obama sobre a guerra no Iraque é determinante para o meu apoio ao mesmo, embora também aqui não tenha ilusões sobre possiveis grandes alterações na politica externa norte-americana numa presidência Obama.

 

Mas uma das coisas que me impele a preferir Obama aos restantes candidatos é a abordagem a um novo rumo para a politica. Dirão alguns que Obama não tem sido muito diferente de Hillary Clinton ou de John McCain na forma como abordou a campanha eleitoral. Dirão mesmo que Obama terá sido igual ou pior que os restantes na abordagem negativa. Discordo e para tal basta olhar à imagem de marca das três campanhas ainda em terreno.

 

De facto Obama utiliza muitas vezes a palavra esperança, e se tal conceito é vago, não há nada de vago nas milhares de pessoas que vão aos seus comicios, nem nada têm de vago as cerca de milhão e meio de pessoas que já contribuiram financeiramente para a sua campanha, e muito menos vago são as centenas de milhares de novos eleitores registados que a sua campanha angariou, com especial foco nas camadas mais jovens da população.

 

Por sua vez o lema principal de Hillary Clinton (e o de John McCain) é a experiência, traduzida no famoso anuncio (que bem podia ter sido feito por McCain) do telefonema às três da manhã sobre um possível caso de ataque externo aos Estados Unidos. É a politica do medo no seu melhor. E acho que para aqueles que tanto criticam Obama de utilizar a esperança como receita para cativar votos, deveria provocar mais náuseas a utilização do medo para cativar votos - na prática são duas faces da mesma moeda, e são conceitos que jogam mais com a emoção do que com a razão. No entanto há uma diferença óbvia, o primeiro - a esperança - é um conceito apesar de tudo de carácter positivo, o segundo - o medo - é um conceito com carácter negativo.

 

Obama é um candidato demagogo com o seu discurso de esperança e com as mesmas receitas socialistas de sempre que tanto agradam aos mais desfavorecidos, mas que na prática poucos resultados dão? Talvez. Mas será melhor candidata Hillary Clinton com o seu discurso do medo e as mesmas politicas socialistas? Não me parece. E John McCain com o seu discurso do medo e a sua politica, não menos populista, de prometer cortes de impostos sem explicar onde vai cortar na despesa, especialmente tendo em conta que parece suportar uma presença prolongada no Iraque que não sairá barata?

 

Mas no fim, reconheço, o meu apoio a Obama é mais emocional que racional. Na prática se fosse cidadão americano e podesse votar o mais certo era não votar em nenhum dos três - não sem contudo referir que tenho uma clara ordem de preferências entre estes três candidatos e não seria preciso muito tempo para explicar que Hillary Clinton está, por larga margem, no fundo das minhas preferências.

Secções:
publicado por Jorge A. às 16:42
link do post | comentar

Já vistos...

...Dan in Real Life, bom dentro do género, mas demasiado "real life, if you know what i mean". Assault on Precint 13, já havia visto a versão de 2005, mas só agora vi o original de Carpenter - todo o esplendor dos filmes série B está aqui em evidência, mas mais do que isso, neste filme que catapultou Carpenter para outros voos, está presente a essência do bom cinema de suspense, essência essa que não se alcança com dinheiro, mas com um génio por trás das câmaras.

Secções:
publicado por Jorge A. às 15:58
link do post | comentar
Sexta-feira, 25 de Abril de 2008

Dilema Moral

Vladimir Nabokov ao morrer deixou expressa a vontade que o seu último trabalho, The Original of Laura, fosse queimado. Passados 31 anos da morte de seu pai, Dmitri Nabokov decidiu avançar com a publicação do livro. Imagino o dilema moral que tal decisão implica e, na prática, não me parece que exista uma escolha certa ou uma escolha errada. Poderemos afimar que Max Brod quando decidiu não cumprir a vontade expressa por Kafka de destruir a sua obra cometeu um erro?

Secções:
publicado por Jorge A. às 15:37
link do post | comentar

Liberdade II

"But to manipulate men, to propel them towards goals which you - the social reformer - see, but they may not, is to deny their human essence, to treat them as objects without wills of their own, and therefore to degrade them." Isaiah Berlin
Secções:
publicado por Jorge A. às 14:25
link do post | comentar

Liberdade I

"The use of ‘liberty’ to describe the physical ‘ability to do what I want’, the power to satisfy our wishes, or the extent of the choice of alternatives open to us...has been deliberately fostered as part of the socialist argument... Once this identification of freedom with power is admitted, there is no limit to the sophisms by which the attractions of the word ‘liberty’ can be used to support measures which destroy individual liberty, no end to the tricks by which people can be exhorted in the name of liberty to give up their liberty. It has been with the help of this equivocation that the notion of collective power over circumstances has been substituted for that of individual liberty and that in totalitarian states liberty has been suppressed in the name of liberty." F.Hayek

Secções:
publicado por Jorge A. às 14:06
link do post | comentar
Quinta-feira, 24 de Abril de 2008

The Age of the Understatement

The Last Shadow Puppets
Secções:
publicado por Jorge A. às 23:02
link do post | comentar
Quarta-feira, 23 de Abril de 2008

110 Livros

Através do Paulo Pinto Mascarenhas cheguei a este artigo do Telegraph que procura enunciar os melhores 110 livros, divididos religiosamente por secções, que deveriam compôr a biblioteca perfeita. Sinceramente, li 9 dos 110 titulos presentes, mas qualquer colecção de livros que não inclua Crime e Castigo do Dostoievsky, O Processo ou A Metamorfose de Kafka e obras politicas, para citar as que gosto, como Road to Serfdom de Hayek ou Atlas Shrugged de Ayn Rand está longe de poder constituir uma biblioteca perfeita.

Secções:
publicado por Jorge A. às 01:43
link do post | comentar | ver comentários (7)
Terça-feira, 22 de Abril de 2008

Privatizações

A avaliar pelo prós e contras desta noite,  o candidato Pedro Passos Coelho parece favorável à privatização da RTP e da CGD. Quanto mais não fosse, só por isso, já é o meu candidato favorito. Patinha Antão parece ser o convidado infiltrado do PCP para debater o futuro do PSD. Só de pensar que este homem, com mentalidade tão retrógada e que aparenta tanta falta de ideias e originalidade naquela cabecinha é deputado pelo PSD, já vou ter pesadelos esta noite...
publicado por Jorge A. às 00:20
link do post | comentar
Segunda-feira, 21 de Abril de 2008

2008 NBA Mascot Bloopers

 

(Via: Fun Fever)

Secções:
publicado por Jorge A. às 22:04
link do post | comentar
Domingo, 20 de Abril de 2008

Campeonato de Futebol

 

O Sporting leva 4-1 do último classificado. O F.C.Porto dá 2-0 sem apelo nem agrado ao Benfica. A vitória do Sporting frente ao Benfica na taça de Portugal não será mais do que uma vitória pírrica - na final da taça caberá-lhes a humilhação de serem derrotados pelo FCP. O que separa Benfica e Sporting neste preciso momento é muito pouco. Ambos são uma sombra de si mesmos, e de tão mau futebol que praticam até mete dó. Há um certo conforto nos adeptos dos dois maiores clubes da capital portuguesa pela situação comum, uma espécie de conforto na não solidão do momento mau. Contentam-se com pouco.

 

Hoje, pela primeira vez na minha vida, o Benfica foi ao estádio do dragão com pouca esperança de ganhar. Fomos como se mais não fossemos do que um clube do meio da tabela. Os adeptos abandonaram de vez a equipa, pouco mais de 150 dos 2500 bilhetes que foram destinados aos adeptos benfiquistas foram vendidos (digno de um clube que se designa por clube nacional e com 6 milhões de torcedores), e no final do jogo o nosso técnico (!) congratulou-se por não termos sido humilhados.

 

O Futebol Clube do Porto venceu o campeonato porque tem os melhores jogadores, o melhor treinador e o melhor presidente. O Futebol Clube do Porto vence o campeonato porque transformou-se num clube demasiado grande para a mediocridade do futebol português.

 

3 grandes? Noutros tempos, esta época houve um gigante e vários pequeninos...

Secções: ,
publicado por Jorge A. às 23:32
link do post | comentar | ver comentários (4)

Para ver e rever

The Lives of Others

 

Secções:
publicado por Jorge A. às 22:59
link do post | comentar

Estoril Open '08

 

Federer ganha por desistência de Davydenko. Banho de água? Bem, mesmo assim foram mais os que assobiaram o ministro da economia Manuel Pinho do que o russo por ter desistido.

Secções: ,
publicado por Jorge A. às 17:12
link do post | comentar

Psicologia Juvenil

Colmatada uma falha, uma das obras primas de Kubrick, A Clockwork Orange, já está visto. E se neste filme a cura (o método Ludovico) para o comportamento "ultra-violento" de Alex é a indução de sentimentos desconfortáveis perante o sexo e a violência (cura essa que mais tarde saberemos não funcionar e ter os seus efeitos perversos), noutro filme visionado esta semana, a obra de Gus Van Sant Paranoid Park (e nunca esquecendo que Van Sant é admirador confesso do trabalho de Kubrick), o personagem Alex (referência implicita ao personagem de Clockwork Orange?) é absorvido por um imenso sentimento de culpa por uma acção involuntária de consequências trágicas - o mesmo sentimento de culpa sentido por Raskolnikov em Crime e Castigo.

 

Gostei muito dos dois filmes, mas agora preciso desperadamente de qualquer coisa mais leve...

Secções:
publicado por Jorge A. às 15:35
link do post | comentar | ver comentários (6)
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Mais sobre mim

Contacto

jorgeassuncao@europe.com

Subscrever feeds

Pesquisar neste blog

Links

Add to Technorati Favorites

Arquivos

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Secções

desporto(383)

politica nacional(373)

cinema(291)

economia(191)

música(136)

ténis(132)

humor(131)

futebol(130)

eleições eua(118)

estados unidos(115)

portugal(115)

blogs(109)

miúdas giras(93)

jornalismo(88)

politica internacional(87)

governo(79)

televisão(74)

blogosfera(69)

oscares(68)

pessoal(55)

todas as tags

blogs SAPO

 

Twingly BlogRank