Segunda-feira, 31 de Dezembro de 2007

Déjà Vu

Berardo defende que Benfica não pode ser "lar de terceira idade"

Joe Berardo: "não quero que o BCP venha a ser um lar da terceira idade"

A greve de argumentistas nos Estados Unidos parece estar a influenciar o guião da novela BCP.
publicado por Jorge A. às 19:35
link do post | comentar

Fica Avisado

Diz a Eo num comentário a este post:

Primeiro parece que o governo está mais preocupado em combater o tabaco do que por exemplo a droga, onde até já se equacionou fazer salas de chuto.
Nem a propósito, via O Insurgente, deparo-me com esta noticia do Público: Uso de pequenas quantidades de drogas está "liberalizado" em seis distritos
Se alguém for apanhado a fumar um charro ou a inalar cocaína em pequenas quantidades no distrito de Santarém pode ter que pagar uma coima ou ser mandado para tratamento, se o mesmo acontecer no distrito de Lisboa, Bragança, Guarda, Viseu, Coimbra e Faro nada acontece. Neste momento há seis distritos do país onde a compra, posse e consumo de droga em pequenas quantidades não tem consequências porque as comissões de dissuasão da toxicodependência (CDT)destes distritos estão sem poder decisório por falta de pessoal.
A partir do ano novo já sabe, antes ser apanhado a inalar droga do que tabaco. E não diga que não foi avisado. Assim vai este país.
publicado por Jorge A. às 15:53
link do post | comentar

Ainda Bem

Tabaco: «A saúde está primeiro»
Comerciantes destacam as vantagens dos espaços sem fumo: benefícios para a saúde de clientes e funcionários, para os edifícios e poupam o dinheiro das obras de adaptação.

Além das preocupações económicas, já que António Fonseca diz que as obras de adaptação são «um investimento considerável», há a preocupação com a saúde. «É óbvio que caminhamos para a proibição total de fumar em espaços fechados e ainda bem, já que a saúde está acima de tudo e pode ser que as pessoas até deixem de fumar».
Se "ainda bem" que "caminhamos" para o "óbvio", ou seja, a "proibição total de fumar em espaços fechados" porque a "saúde está acima de tudo", e se são os comerciantes que dão destaque a tal, gostava de perceber o porquê de os comerciantes por sua própria iniciativa já não terem caminhado em direcção ao ainda bem do óbvio. É óbvio que há qualquer coisa aqui que me escapa...

Entretanto, há quem queira evitar o óbvio (ainda mal? será?):

«O meu restaurante é para fumadores»
António Gomes da Silva, proprietário do restaurante Solar do Pátio, no Porto, já decidiu: a partir de 1 de Janeiro, o restaurante será um espaço de fumadores. «Eu sou fumador, assim como 99 por cento dos meus clientes, por isso, só faz sentido que permita fumar». O responsável adianta que está a preparar o restaurante com extracção para o exterior e já tem o dístico de fumadores para colocar na porta.
publicado por Jorge A. às 01:53
link do post | comentar
Domingo, 30 de Dezembro de 2007

Um Feliz '08 para os Povos do Norte

Um brinde aos povos do norte da Europa que trabalham e são organizados, pelo contrário cá no sul somos desorganizados e pouco dados ao trabalho. Eles lá tem meia-hora para o almoço e uma vida dedicada ao trabalho, nós cá temos uma hora de almoço (quando não a prolongamos) e uma vida dedicada ao lazer. Eles proibiram o fumo antes de nós e há muito que tem uma média de restaurantes por habitante conforme a média europeia. Nós por cá, só agora caminhamos para lá - um agradecimento muito especial para a ASAE. Eles lá são ricos, nós somos pobres. Pois, está certo, eles lá tem tudo, mas no Verão cá vos esperamos...

publicado por Jorge A. às 15:56
link do post | comentar

Um Feliz '08 para a Restauração Portuguesa

ASAE diz que metade dos restaurantes e cafés portugueses estão condenados a fechar
Metade dos restaurantes e cafés em Portugal “estão condenados a fechar” por não cumprirem a legislação comunitária ou por não terem viabilidade económica, disse hoje ao semanário “Sol” António Nunes, o inspector-geral da ASAE (Autoridade de Segurança Alimentar e Económica).

António Nunes referiu um relatório da Comissão Europeia, segundo o qual “o nível de aplicação das regras de higiene e de controlo oficial [em Portugal] não é satisfatório”.

Além disso, Portugal tem “três vezes mais restaurantes por habitante do que a média europeia”. A União Europeia tem “uma média de 374 habitantes por restaurante; em Portugal são 131. Isto não tem viabilidade económica”, afirmou.
A ditadura dos burocratas europeus chegou e está para durar. E acho "ternurenta" a preocupação do inspector-geral da ASAE para com a viabilidade económica dos restaurantes e cafés portugueses. Se os restaurantes e cafés não tem viabilidade económica deixemos o mercado funcionar que mais tarde ou mais cedo alguns fecharão, o que reduz a utilidade do excelentissimo inspector geral da ASAE nessa matéria a zero. Será que não passa pela cabeça do exmº senhor da ASAE que a média de restaurantes por habitante em Portugal é bastante superior à média europeia por questões culturais? E que, portanto, ao contrário do que está implicito nas declarações do excelentissimo senhor da ASAE, o elevado número de restaurantes por habitante em Portugal não revela necessariamente um problema de inviabilidade económica no sector, mas antes pelo contrário, que em Portugal há viabilidade para ser gerada tal situação.

Mas se o objectivo é trasnformar-nos um tanto ou quanto mais anglo-saxónicos, mais MacDonald's, mais Pan's & Company, resumindo e concluindo, mais fast food, estamos no bom caminho. Ficamos é dia para dia, um bocadinho menos portugueses...
publicado por Jorge A. às 15:27
link do post | comentar

Um Feliz '08 para os Fumadores Portugueses

Vida dos fumadores portugueses muda a partir de 3ª feira
A partir de terça-feira a vida dos fumadores portugueses vai mudar com a entrada em vigor da nova lei do tabaco, que genericamente proíbe o fumo em todos os espaços destinados a utilização colectiva.
publicado por Jorge A. às 14:30
link do post | comentar
Sexta-feira, 28 de Dezembro de 2007

Se me é permitido...

...escolher a minha figura deste ano, do anterior a este e do que há de vir:
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 23:18
link do post | comentar

Dizem que sim

Futura primeira-dama francesa:
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 22:59
link do post | comentar

Ideias para Portugal'08

Hole in the wall for smokers
A German bar owner has got round a smoking ban by cutting holes in the wall so customers can stick their heads out to have a cigarette.

Michael Windisch, owner of the Maltermeister Turm bar and restaurant in Goslar, Lower Saxony, cut three holes next to tables in his restaurant after local authorities introduced the ban on smoking in all eating places.

Customers who want to smoke can stick their heads through the large holes and their hands through the other two so they can have a cigarette. A curtain has been mounted to keep out the cold.
publicado por Jorge A. às 22:09
link do post | comentar
Quarta-feira, 26 de Dezembro de 2007

Winehouse

Antes de:


Depois de:


Um dos melhores discursos de aceitação de prémio:

Secções:
publicado por Jorge A. às 19:20
link do post | comentar
Terça-feira, 25 de Dezembro de 2007

De Longe

Melhor canção, gravação do ano, álbum e artista revelação. A amiga Winehouse só não terá as quatro se na cabecinha daquela gente que oferece grammy's ser expectável que a artista em causa seja um role model para a nossa sociedade em geral e para os seus filhos em particular. Esquecendo a droga, o alcool, os concertos perdidos, os problemas com justiça, a carissima Amy Winehouse é de longe a melhor do ano naquela listinha de nomeados já revelada pela academia discográfica norte-americana. Claro que, mesmo que decidam dar-lhe os prémios merecidos, convém não esquecer que convidá-la a fazer uma performance em directo e esperar que corra tudo pelo melhor é quase como jogar no euromilhões esperando ganhar.
Secções:
publicado por Jorge A. às 21:44
link do post | comentar

"Keep it Real Simple"


Dia 19 de Março, no Pavilhão Atlântico
Secções:
publicado por Jorge A. às 21:30
link do post | comentar

Culinária

No melhor blog de culinária alguma vez criado:
Receita: Bacalhau com Broa
Ingredientes: Mãe, bacalhau, espinafres, broa de milho, azeite, alho, cebola, batata e sal.
Modo de preparação: meta a mãe na cozinha com os ingredientes e feche a porta. Espere duas horas e seja servido.

Bom apetite.
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 18:02
link do post | comentar
Segunda-feira, 24 de Dezembro de 2007

Os Melhores do Século

A propósito deste post fui fazer um pequeno trabalho de investigação. Quando custaria ao contribuinte português a elaboração de um dos filmes do século XXI?

O ICAM revela em pormenor todos os resultados dos concursos a apoios cinematográficos. Assim descobri que, por exemplo, o Juventude em Marcha teve direito a 650 000 euros. Tendo em conta que só 2223 pessoas viram o filme em Portugal, isto resulta num financiamento por espectador de 292 euros (nada mal). Ou, numa perspectiva mais optimista, uma das obras cinematográficas do século XXI custou a cada um de nós miseros 6,5 centimos. Ora eu consigo viver sem 6,5 centimos, não consegue o caro leitor? Conseguirá, certamente.

Já o "jovem" Manoel de Oliveira, em inicio de carreira, e que portanto precisa do apoio do estado, recebeu 648 437 € por Vou para Casa em 2000; 648 437 € por Jóia de Familia em 2001; 648 500 € por Um Filme Falado em 2002; 650 000 € por O Quinto Império em 2003; 650 000 € por Espelho Mágico em 2004; e 650 000 € por Belle Toujours em 2005. Nada mal, entre 2000 e 2005 Manoel de Oliveira não falhou um, 3 900 000 euros só à pala do grande realizador nacional. É bom ser grande em Portugal. 39 centimos foi quanto cada português deu para Manoel de Oliveira continuar a fazer os seus belos filmes. Ora, eu consigo viver sem 39 centimos, não consegue o caro leitor? Conseguirá, certamente. Já o bom do Manoel de Oliveira é que não consegue fazer filmes sem os seus 39 centimos - sejamos solidários.

Na bilheteira, o Quinto dos Impérios teve 8218 espectadores, o Belle Toujours 3845 espectadores, e o Espelho Mágico 2657 espectadores. Tendo em conta o número de espectadores que leva aos cinemas portugueses, parece-me bem que ano após ano o caríssimo Manoel de Oliveira tenha direito ao seu subsidio.

Um breve apanhado aos subsidios do ano 2000 revela um total gasto de 17.056.267€. Nos subsidios de 2005 o valor global é de 7.450.000€. Assumindo que tal diferença não se baseia em falta de informação, em cinco anos conseguiu-se cortar quase 10.000.000€ em subsidios (mais um euro no bolso de cada português). Não me parecia mal que nos próximos cincos anos os restantes 75 centimos de cada português fossem deixados nos seus bolsos. Dêem a reforma ao pobre do Manoel de Oliveira...
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 14:58
link do post | comentar

Do You Believe

Dia 25 de Dezembro celebra-se o nascimento de Jesus, data marcante para cristãos. E para quem não acredita?
Para quem não acredita sobra sempre o pai natal, não é?
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 00:52
link do post | comentar

Feliz Natal

O centro comercial a abarrotar. As últimas compras de natal. A secção de doces no supermercado com as prateleiras vazias. Uma indecisão final entre os destaques literários da FNAC. De Cormac McCarthy lá estava o "Este País Não é Para Velhos" e de Philip Roth "O Animal Moribundo". Optei pelo segundo, o primeiro vou esperar pelo filme. Não me contenho, sou um tipo que tem de oferecer prendas a sí próprio. Mais umas ofertas compradas e no fim mais um fato para a minha colecção. Carteira vazia, mas trato-me bem. O natal é uma vez por ano, ou num registo mais optimista, o natal é quando o homem quiser. Tratem-se bem e tratem bem os outros.

Feliz Natal a todos os leitores que por cá passam ou, num registo politicamente correcto, boas festas.
Secções: , ,
publicado por Jorge A. às 00:03
link do post | comentar
Domingo, 23 de Dezembro de 2007

Cinema Português

Não é todos os dias que um filme português tem destaque num artigo do New York Times:
You’re probably wise to “The Bourne Ultimatum,” so instead let me share a few words about “Colossal Youth,” from the Portuguese filmmaker Pedro Costa. Obscure in more ways than one, this movie has not been picked up by an American distributor, making it hard for even intrepid filmgoers to see. Shot in digital video, it is a cryptic, arresting work that reveals its mysteries slowly. With their deliberate movements and long silences, Mr. Costa’s cast — nonprofessionals culled from a Lisbon slum — seem as monumental as marble, a heaviness that all but stops the flow of the movie and forces your attention directly on them. You really watch this movie or you flee. If it makes it to DVD, I promise to let you know.

“The Bourne Ultimatum” and “Colossal Youth” (now there’s a double bill) could not be more different: they’re limpid/opaque, frantic/composed, global/local, star-driven/real-peopled. Neither looks like the other or like anything else out this year. Each brings you into worlds through different formal means.

“Colossal Youth,” by contrast, allows the world to cohere (almost congeal) around its characters, and it slows down its pace so drastically that unless you adapt your rhythms to it, you will never find a way in.
O meu problema com o cinema português advém do facto de ter de financiá-lo com os meus impostos via subsidios do ICAM - por vezes tento financiá-lo de livre vontade com uma ida ao cinema, e não raras vezes venho desiludido. O último bom filme português que vi e gostei foi Os Imortais, motivado pelo sucesso deste, fiz mais umas tentativas e fiquei tremendamente desiludido: "Portugal SA", "Filme da Treta" e "O Crime do Padre Amaro".

Vou dar o beneficio da dúvida a este Juventude em Marcha que, para além do destaque do New York Times, foi considerado pelo critico João Lopes um dos filmes maiores do cinema (português ou não) deste nosso século XXI. Se assim for, uma pena que uma obra maior do século XXI seja portuguesa e só tenha sido vista por 2293 espectadores.
Secções:
publicado por Jorge A. às 12:44
link do post | comentar

Defesa do Consumidor

ASAE recebe 50 denúncias por dia

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) recebe, em média, 50 denúncias por dia. Trata-se de relatos sobre estabelecimentos com falhas ao nível da higiene ou conservação dos alimentos – a maioria dos quais produzidos por comerciantes que se sentem lesados pela concorrência, que consideram desleal, de lojas vizinhas ou que actuam no mesmo ramo.
A ASAE não é uma máquina ao serviço do consumidor, antes pelo contrário, é uma máquina ao serviço de alguns empresários que à boa moda portuguesa querem limitar a concorrência. É fácil perceber então que os que se queixam à ASAE sejam os donos de estabelecimentos e não os frequentadores dos mesmos. Os rissóis de uma qualquer superficie até podem cumprir as normas impostas pela legislação portuguesa, mas não tenham dúvidas meus caros, os que se vendem em algumas pastelarias com fabrico caseiro são imensamente melhores. Os das grandes superficies cumprem as normas, os da pastelaria cá da esquina não. O consumidor sabe, mas continua a preferir a pastelaria cá da esquina (e como eu o compreendo). Mas venha daí a ASAE defender o consumidor mesmo que este não tenha pedido protecção alguma. O consumidor é tolinho, os iluminados que criaram a ASAE é que sabem o que é bom ou não para o consumidor. Entretanto, à boa moda portuguesa, alguns empresários vão fazendo queixinhas...
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 12:25
link do post | comentar
Sábado, 22 de Dezembro de 2007

Espirito de Natal

“DUMB and Dumber”, one of the modern classics of American comedy, tells the story of an affable idiot, Lloyd Christmas, who falls in love with a classy beauty, Mary Swanson. In one scene he asks her the chances of “a guy like you and a girl like me” ending up together. The answer is “Not good”. “Not good like one out of a hundred?” asks Lloyd. “More like one out of a million,” Mary replies. Lloyd pauses for a moment, then shoots back, “So you're telling me there's a chance?”
(Ler o resto)
Secções:
publicado por Jorge A. às 13:20
link do post | comentar

Personalidades do ano que verdadeiramente interessam

Vanessa Fernandes considerada personalidade do ano
A portuguesa Vanessa Fernandes, campeã do Mundo de triatlo, foi escolhida pela imprensa estrangeira sediada em Portugal como a personalidade do ano de 2007, anunciou hoje a Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal (AIEP)
Secções:
publicado por Jorge A. às 13:10
link do post | comentar

O Ano em Revista (Cinema e Música)

O cinema em 2007 esteve em alta, ou pelo menos assim parece. E assim parece porque boa parte do que parecem ser os bons filmes de 2007 ainda não estrearam nos Estados Unidos, quanto mais em Portugal. Torna-se assim complicado fazer uma análise do que foi efectivamente a produção cinematográfica do ano. Filmes como Into the Wild; Atonement; Sweeney Todd; The Darjeeling Limited; Charlie Wilson's War; There Will Be Blood; e No Country for Old Men; apesar de serem colheita de 2007, só em 2008 serão vistos nas salas portuguesas. E se nestes ainda se compreende, o caso de 3:10 to Yuma parece-me incompreensível - e confesso que já vi o filme.

Claro que os óscares influenciam, e de que maneira, o timing de exibição dos filmes em questão. É por demais evidente que os filmes que saiem no final do ano levam vantagem sobre os exibidos nos primeiros meses do ano. A esse propósito refira-se, por exemplo, Zodiac. O filme de David Fincher foi um dos que na minha opinião marca o ano que passa, mas é completamente esquecido para as cerimónias de entrega de prémios deste final de ano. Estrear a 2 de Março nos Estados Unidos, é caminho certo para o esquecimento.

A titulo pessoal gostei muito dos filmes 300, Rocky Balboa e Stardust. Dos blockbusters de verão as triologias deram-se mal. Nem o terceiro Spider Man, nem o terceiro Pirates of the Caribbean, chegaram sequer aos calcanhares dos seus antecessores. Qual foi então para mim o grande blockbuster deste verão que passou? O Transformers de Michael Bay.

Quentin Tarantino deixou a sua marca este ano com Death Proof, que apesar de não passar de mais do mesmo a que Tarantino nos habituou, e portanto faltando-lhe alguma originalidade, não deixa de ser um dos meus filmes do ano. Os Simpsons estrearam-se no ecrã gigante em grande, mas a comédia que mais gostei de ver foi Knocked Up.

O Eastern Promises deixa para a posteridade a luta sangrenta numa sauna em que Viggo Mortensen aparece tal como Deus o colocou no mundo, e Elizabeth: The Golden Age foi para mim uma enorme desilusão. Outra desilusão veio por parte daquele que tentava imitar o sucesso de The Lord of the Rings, The Golden Compass deixou muito a desejar. E o cinema português - este ano com o sucesso Corrupção, para o ano já com o previsto filme do Morangos com Açuçar (suspiro) - não é uma desilusão, é mais uma resignação à mediocridade subsidiada (suspiro, novamente).

E de cinema em 2007 estamos conversados, se bem que, como é sabido, a verdadeira leitura do ano fará-se depois dos óscares.

Em relação à música, confesso que não sou um grande consumidor de álbuns e o meu consumo é mais avulso, daí o universo em análise ser mais limitado. Recentemente ando a ouvir, e a gostar do que oiço, Amy Winehouse e o seu Back to Black (se bem que este álbum foi introduzido no mercado nacional a 4 de Outubro de 2006). Dois álbuns para recordar deste ano que passa são o Sound of Silver dos LCD Soundsystem e White Chalk de PJ Harvey. De bandas sonoras de filmes o que mais tocou cá por casa foi a música do filme Death Proof. Do universo de artistas portugueses, destaco o Dreams in Colour de David Fonseca.

O álbum In Rainbows dos Radiohead, apesar de eu particularmente não ter gostado do mesmo, fica registado pela forma original como foi lançado no mercado - através de download gratuito pela internet - só quem desejava é que poderia contribuir para a banda, e parece que a banda nos primeiros tempos não se deu mal com tal ideia.

Como desilusão destaco o álbum Not to Late de Norah Jones - sinceramente, pouco se ouviu por estes lados, e eu sou um admirador confesso da cantora nova iorquina. Pelo contrário, outras três musas da música moderna continuaram a fazer-se ouvir, Alicia Keys com o seu As I Am, Katie Mulua com o seu Pictures e Carla Bruni com o seu No Promises.

Leitura Recomendada: O Ano em Revista (Desporto) e O Ano em Revista (Politica e Sociedade)
publicado por Jorge A. às 00:01
link do post | comentar
Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2007

Actores do Ano

Reduzir os actores do ano a 6 é dificil, mas a Esquire na pessoa de Mike D'Angelo fez a sua escolha. Dos 6 escolhido a minha predilecção vai para Cate Blanchett e Javier Bardhem, mas eu eliminava dali uma carinhas e introduzia outras. Mas gostei do trabalho fotográfico, especialmente da primeira imagem que ilustra este post. Para mais informação, carregar em cada uma das imagens abaixo:

Image Hosted by ImageShack.us Image Hosted by ImageShack.us Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us Image Hosted by ImageShack.us Image Hosted by ImageShack.us
Secções:
publicado por Jorge A. às 13:18
link do post | comentar
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Mais sobre mim

Contacto

jorgeassuncao@europe.com

Subscrever feeds

Pesquisar neste blog

Links

Add to Technorati Favorites

Arquivos

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Secções

desporto(383)

politica nacional(373)

cinema(291)

economia(191)

música(136)

ténis(132)

humor(131)

futebol(130)

eleições eua(118)

estados unidos(115)

portugal(115)

blogs(109)

miúdas giras(93)

jornalismo(88)

politica internacional(87)

governo(79)

televisão(74)

blogosfera(69)

oscares(68)

pessoal(55)

todas as tags

blogs SAPO

 

Twingly BlogRank