Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2007

Oscares

As minhas previsões acabaram por não ser as melhores. Acertei 5 em 10. Vale que no melhor filme e no melhor realizador acertei. Ganhou Scorsese, ganhou bem. Ganhou The Departed, fico com dúvidas da justiça do resultado - o júri foi claramente atrás do nome do realizador. Era o ano do Scorsese, e já que assim era, nada melhor do que oferecer-lhe o óscar para o filme também.
E a Academia manteve uma tradição. Quando um filme é muito bom, mas não tem grande máquina publicitária por trás, surgindo assim como outsider, nada melhor do que oferecer-lhe o óscar de melhor argumento original e pouco mais - assim foi com Lost in Translation, assim foi com Eternal Sunshine of Spotless Mind, e assim foi com Little Miss Sunshine.
E os actores de côr negra estão em grande. Há uns anos atrás a vitória de Sidney Poitier em 1963 foi um agitar de consciências, mas foi preciso esperar 38 anos, até 2001, para outro actor negro, Denzel Washington, ganhar a estatueta dourada na categoria de melhor actor. Agora, é aos cogumelos: Jamie Foxx em 2004 e Forest Whitaker em 2006. E Forest Whitaker foi de facto impressionante, a performance como Idi Amin no filme O Último Rei da Escócia é excelente.
E só mais uma coisinha... a apresentadora Ellen DeGeneres esteve muito bem.
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 22:48
link do post | comentar

Parabéns

Parabéns em primeiro lugar a'O Insurgente, que completa hoje 2 anos. Um blog que me habituei a visitar regularmente.

E parabéns para mim, que faço hoje 24 aninhos.

E parabéns ao Sport Lisboa e Benfica, que faz amanhã 103 aninhos.

Secções: ,
publicado por Jorge A. às 22:33
link do post | comentar
Domingo, 25 de Fevereiro de 2007

In deed

Por vezes, o topo do mundo é também o seu fim



Secções: ,
publicado por Jorge A. às 16:20
link do post | comentar

Academy Awards

É hoje a grande noite dos Oscares. Nos últimos anos tenho assistido a todas, mas desta vez vai ser díficil. Às 09:00 de segunda-feira tenho de estar bem desperto no meu local de trabalho. Mas vamos lá, fazer uma coisa que sempre achei divertida, tentar adivinhar os vencedores nas principais categorias - este ano sempre tenho uma vantagem, vi quase todos os filmes nomeados ;)

Melhor Filme: The Departed
Melhor Actor Principal: Will Smith (Pursuit of Happyness)
Melhor Actriz Principal: Helen Mirren (The Queen)
Melhor Actor Secundário: Eddie Murphy (Dreamgirls)
Melhor Actriz Secundária: Rinko Kikuchi (Babel)
Melhor Realizador: Martin Scorsese (The Departed)
Melhor Argumento Original: Michael Arndt (Little Miss Sunshine)
Melhor Argumento Adaptado: William Monahan (The Departed)
Melhor Filme Estrangeiro: Laberinto del Fauno, el (México)
Melhor Filme de Animação: Cars
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 15:44
link do post | comentar
Sábado, 24 de Fevereiro de 2007

Lost in Translation

Quando vi o trailer do Lost in Translation pensei que não valia a pena gastar o meu dinheirinho para ir vê-lo ao cinema - fiquei com a clara impressão que era um filme para esperar pelo DVD e visioná-la no conforto do meu lar. O trailer não me cativou de inicio. Mas tinha presente na memória o filme Virgens Suicidas, também de Sofia Coppola, filme esse que eu havia adorado. Decidi arriscar. Entrei pelo cinema sem grandes expectativas. Quando entrei, não conhecia Scarlett Johansson e de Bill Murray, tinha presente na memória o Ghost Busters. Nada mais. Quando sai de lá fiquei totalmente convencido que Bill Murray era um grande actor - ele que viria no ano a seguir a fazer outro filme genial: The Life Aquatic with Steve Zizou. Esta é uma das cenas de Lost in Translation que mais gostei:

Ah! Mas o melhor de tudo não foi Bill Murray. Foi a revelação desse ano, Scarlett Johansson...

Para mim, tinham sido eles os dois a ganharem o óscar nesse ano. Mas como se sabe, a Academia nem sempre premeia os melhores. Só assim se justifica que Naomi Watts também ainda não tenha ganho a estatueta que já merecia.

Secções:
publicado por Jorge A. às 20:03
link do post | comentar

2007 Earth Odyssey

Chimpanzés vistos a caçar com lanças de madeira.

Parece que elas, supõem os cientistas, decidiram explorar uma refeição ignorada por eles. Resta saber se outras populações de chimpanzés do Senegal, a casa de 500 animais, ou noutras partes de África, também constroem lanças de caça. Para já, esta descoberta deverá contribuir para se compreender um pouco melhor como os nossos antepassados desenvolveram estratégias de caça.

Para os humanos, as lanças de madeira mais antigas têm 400 mil anos. “Os múltiplos passos seguidos pelos chimpanzés de Fongoli no fabrico de ferramentas para caçar mamíferos envolvem um tipo de antevisão e complexidade intelectual que muito provavelmente caracterizava os primeiros antepassados humanos”, escrevem os cientistas
.

publicado por Jorge A. às 13:41
link do post | comentar
Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2007

Ficção cientifica e Bad Girls

Em primeiro lugar apresento o trailer de Resident Evil: Extinction, que é o filme responsável por concluir a triologia cinematográfica do que começou por ser um jogo de computador. Não sou fan do jogo, mas gosto dos filmes. Não discuto se o filme é bom ou mau... definitivamente mau. Uma treta, diria mesmo. Mas às vezes um filme da treta tem sucesso e diverte-me o suficiente para gostar de o ver no grande ecrã. Para além disso tem a melhor Kick Ass Girl do cinema: Milla Jovovich. No filme de Luc Besson, O Quinto Elemento, já o tinha demonstrado, mas acho que no Resident Evil ainda se encaixou melhor na personagem.



Mas o filme Serenity, esse sim cumpre todos os requisitos que tornam para mim um filme de ficção cientifica num grande filme. A base do filme é um projecto de Joss Whedon (criador da Buffy, the vampire slayer) denominado Firefly. Como a série Firefly não teve sucesso e foi cancelada nos Estados Unidos, Whedon lançou-se então no projecto de transformar a sua série num filme. A verdade é que conseguiu criar uma excelente história de ficção, que nos surge diante do ecrã como uma ode de homenagem a filmes como o Star Trek ou Star Wars - é notória a semelhança entre o Captain Malcolm "Mal" Reynolds e Han Solo. Mas é na introdução da Kick Ass Girl River Tam (representada por Summer Glau), que o filme atinge o seu potencial. Um filme a não perder para qualquer fan de ficção cientifica, acreditem.

publicado por Jorge A. às 23:38
link do post | comentar

20 anos...

Secções:
publicado por Jorge A. às 22:49
link do post | comentar
Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2007

E porque o Nuno ficou a aquecer o banco...

Tenho andado afastado das lides bloguistas, mas andei por terras espanholas e o trabalho tem sido muito. No entanto, vejamos:
  • Em terra de mafiosos, só um Padrinho como Berlusconi, para manter a estabilidade da coisa. Mandaram o homem embora, agora vejam quanto tempo durou Romano Prodi. Se a Itália estivesse totalmente dependente do Estado, aquilo ia ser uma coisa bonita de se ver. O que vale, é que há outras instituições fortes que permitem que o país se mantenha à tona.
  • Mais uma noticia interessante: Auto insurance set by when and where you drive. O mundo das seguradoras sempre me interessou. Especialmente nas estratégias que utilizam para analisarem o risco dos seus clientes. Lembro-me que dizia-se no meio, que o tipo com menos risco de acidente, em termos estatisticos, era residente no Algarve, de meia-idade, com carro branco... só me falta envelhecer um pouco.
  • As eleições americanas começam a aquecer. Nos democratas prefiro Barak Hussein Obama (que nome fantástico) a Hillary Clinton, mas acho que no final acabarei torcendo por Rudy Giuliani.
  • Soube-se também que em Wimbledon vão finalmente fazer equivaler os prémios do sector feminino aos prémios do sector masculino. O motivo que até agora tinha mantido a diferença salarial dos prémios era a duração dos encontros: o feminino à melhor de 3 sets, o masculino à melhor de 5 sets. Mas convenhamos, muitas vezes o esquema masculino torna-se very boring (embora não exista nada como um encontro bem disputado de 5 sets), e os encontros mais rápidos do sector feminino permitem um acompanhar mais interessantes do jogo na sua totalidade.
  • Mas o melhor de tudo é que o Benfica ganhou ao Dinamo de Bucareste, e lá continuamos nós na Taça UEFA. Agora venha dai um PSG (Pauleta Sem Golos, espero eu!!!). E no campeonato a coisa também melhorou. Estamos a 4 pontos do líder, e o líder ainda vem jogar ao Estádio da Luz. Felizmente há luar.
publicado por Jorge A. às 22:00
link do post | comentar
Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2007

Calvin & Hobbes

É com o Calvin que a maior parte dos nossos politicos aprende.
Secções:
publicado por Jorge A. às 19:16
link do post | comentar
Domingo, 18 de Fevereiro de 2007

Dolphin's Cry

E eu choro também.

(não aconselhável a pessoas sensiveis):



Quem não concorda com esta matança, assine a petição on-line:
http://www.petitiononline.com/golfinho/petition.html

Sempre posso ter alguma fé na raça humana, afinal de contas a petição Stop the dolphin and whale killings in Taiji é uma das mais participadas do PetitionOnLine (152139 assinaturas à altura em que escrevo este post).

publicado por Jorge A. às 01:42
link do post | comentar
Sábado, 17 de Fevereiro de 2007

Grandes Líderes: Ronald Reagan


Porque Ronald Reagan representou uma nova forma de fazer politica. Porque este, a par de Margaret Tatcher, representa, de certa forma, uma ideologia que é a minha.

Considerado O Grande Comunicador, ao que ele uma vez respondeu: "Nunca pensei que era o meu estilo ou as palavras que usei que faziam a diferença: era o seu conteudo. Eu não era um grande comunicador, mas comunicava coisas importantes..."

Também achei esta pérola na wikiquote:
Unfortunately, he is a powerful speaker with an appeal to the emotions. He leaves little doubt that his idea of the 'challenging new world' is one in which the Federal Government will grow bigger and do more and of course spend more....One last thought --- shouldn't someone tag Mr. Kennedy's bold new imaginative program with its proper age? Under the tousled boyish haircut is still old Karl Marx - first launched a century ago. There is nothing new in the idea of a Government being Big Brother to us all. Hitler called his 'State Socialism' and way before him it was 'benevolent monarchy.'"

Referia-se, está claro, a outro grande icone norte-americano: J.F.Kennedy. Curioso, que cá para mim, a parte do powerful speaker with an appeal to the emotions, tanto se pode aplicar a Kennedy como a Reagan. A única diferença, lá está, estaria no Unfortunately. Porque a um bom líder não bastam as boas ideias, é preciso saber fazer passar essas boas ideias para os outros.
Nos dias que correm, a comunicação passou a ter mais importância que o conteudo da mensagem. Hoje é tudo muito light, tudo muito fabricado, tudo muito sem conteudo. Quem dúvida, olhe para o nosso Primeiro Ministro.

E só para terminar, gostava de deixar aqui este quadrozinho:

Em 1984, Reagan conquistou o seu segundo mandato, numas eleições em que dos 50 estados norte-americanos, 48 foram ganhos por ele. Curioso também estas eleições terem sido em 1984, titulo do livro de George Orwell, que previa um futuro nada risonho para o mundo se constituido por estados totalitários - o estado Big Brother.

publicado por Jorge A. às 16:28
link do post | comentar

Nicolas Sarkozy

Ségo-Sarko (ultimamente mais Sarko que Ségo)

A revista The Economist traz na sua última edição um artigo sobre Segolène Royal, intitulado The Lady in Red. Neste traça um quadro negro sobre Ségo, reportando ao facto de para alguém que quer transparecer modernidade, frescura e originalidade, parece querer adoptar o mesmo tipo de politicas ultrupassadas de esquerda, já várias vezes apresentadas, já várias vezes fracassadas. Nesse aspecto, o actual primeiro-ministro Tony Blair, com a sua terceira via, que tanto irrita muita gente de esquerda, foi de longe o que conseguiu dar uma nova perspectiva à esquerda, e levá-la a caminhar para o futuro. Blair foi o último grande líder da Europa, que seguiu-se a nomes gigantes como Margaret Tatcher, François Miterrand, ou Elmut Kohl. A Espanha também teve líderes fortes, em Felipe González e José Maria Aznar - mas convenhamos, esta ainda não tem o peso politico dum Reino Unido, duma Alemanha, ou duma França. Em Itália, lideres fortes, só Silvio Berlusconi, mas este, tal é a teia de corrupção à sua volta, e o estilo abrupto e autoritário com que faz politica, que só denigre a sua credibilidade politica, e deixa mal vista uma certa direita europeia.

Quantos se lembrarão de Gerhard Schröder? E de Jacques Chirac? Bem, deste último lembrarão-se com certeza, mas não tanto por ter contribuido por algo mais na politica internacional, somente por se ter imposto à politica americana, e tentado fazer transparecer na França um contraponto aos Estados Unidos. A Itália, cheia de instabilidade politica, também não será com Romano Prodi que voltará a fazer ouvir a sua voz no mundo. E a Espanha garantiu a um Zapatero uma vitória imerecida, e a esperança que dali vinha algo de bom, parece ter caido finalmente por terra com os atentados da ETA. A Alemanha substituiu um Schröder por uma Merkel, mas dada a forma governamental que a Alemanha foi obrigada a adoptar, uma coligação entre esquerda e direita, a força de Merkel ficou minada, e não me parece que esta vá trazer nada de especial à Europa. Em Inglaterra já se sabe que será entre Cameron e Brown que se disputará a próxima eleição... mas não tenho muitas dúvidas, nenhum deles convence-me, e quem quer que se siga a Blair, terá enormes dificuldades em singrar. Vem aí um novo John Major.

Neste clima de uma Europa sem liderança, não é de estranhar a forma como Vladimir Putin aparece no terreno, tentando voltar a pôr a Rússia no terreno. Esta Europa da conversação, que já não vê nos Estados Unidos um aliado natural, mas que ao mesmo tempo não apresenta alternativa à politica deste que não sejam as conversações, que resultam invariavelmente num fracasso, fica sem força e é normal que outros ocupem o espaço vazio que esta deixou ficar. O mundo ficará certamente um lugar mais perigoso, se deixarmos a luta contra os radicais somente para os Estados Unidos. E o problema é que muitos na Europa, falo do povo está claro, gostavam de ver os Estados Unidos a perder a sua batalha, tal é o ódio que nutrem por estes - muitos à espera de uma vingança após a queda da União Soviética. É por isso que só com lideres fortes na Europa o mundo poderá voltar a ficar mais seguro. Convenhamos, Angela Merkel por exemplo, bem se esforça por reforçar as relações da Alemanha com os Estados Unidos, mas se boa parte do seu povo é contra tal politica, de que lhe serve seguir essa politica se não consegue levar o seu próprio povo a aceitá-la.

Isto tudo para dizer que vejo em Nicolas Sarkozy um líder forte. E vejo nele uma vontade de alterar a relação França-Estados Unidos. O homem não é só virtudes, tenho aliás, muitas dúvidas em relação a algumas das ideias que expressa, mas considero que é talvez uma das últimas esperanças da Europa dar a volta por cima à situação de agonia a que chegou. Se Royal vencer... bem... não é o fim do mundo, mas talvez seja o fim do mundo como o conhecemos - ainda para mais, quando a senhora, parece não convencer pela inteligência - it's all in the look.
publicado por Jorge A. às 12:51
link do post | comentar
Sexta-feira, 16 de Fevereiro de 2007

Cidadão urbano civilizado e touradas

O Diabo-da-Tasmânia tornou-se conhecido mundialmente pelo famoso desenho animado Taz. Agora descubro que este animal pode estar em vias de extinção por causa de um tipo de cancro.

Devo dizer que esta é daquele tipo de noticias que me chocam profundamente. Custa-me imaginar que uma espécie animal tão caracteristica da região australiana da Tasmânia possa estar em risco de desaparecer. Ainda por cima por causa de uma doença de consequências tão atrozes como aquela que afecta a espécie.

Fico triste. Resta-me esperar para que o homem descubra a cura e salve estes animais. É que ao mesmo tempo que por acção do homem há espécies animais em risco de extinção, é também pela acção do homem que outras espécies ainda se mantém entre nós.
É uma pena que tanta espécie animal esteja em risco de extinção, e que boa parte desse risco seja motivado pela acção directa do homem. Lembro-me sempre de David Attenborough, que fez mais pela protecção da vida animal do que qualquer governo poderia ter feito. Lembro-me como David Attenborough dizia que não podia obrigar ninguém a agir como ele achava que seria correcto, mas que poderia mostrar ao mundo a vida animal (por vezes de forma considerada "demasiado" natural, como quando mostrou simios a atacarem violentamente outros simios, e a praticarem actos canibais) em toda a sua beleza. Com isto, pensava David Attenborough, e na minha opinião bem, poderia influenciar todos nós a criar uma nova consciência e forma de agir para com a natureza e a vida animal.
A Chita. Só porque a gaja corre mais do que tu queres extingui-la?
Image Hosted by ImageShack.us

A Baleia Azul. Só porque a gaja é do FêCêPê faz sentido eliminá-la de vez.
Image Hosted by ImageShack.us

O Tigre Siberiano. Só porque o gajo é mais forte e mais bonito que o Leão queres acabar com ele.
Image Hosted by ImageShack.us

O Cão Selvagem Africano. Lá porque este, apesar de cão, não ser o melhor amigo do homem, não gostavas que não fosse extinto?
Image Hosted by ImageShack.us
Secções:
publicado por Jorge A. às 23:38
link do post | comentar

Domingo às 19:40

Madrid, aqui vou eu.
publicado por Jorge A. às 22:57
link do post | comentar
Quinta-feira, 15 de Fevereiro de 2007

Once Upon a Time in PSI-20

OPA PT: Sonaecom aumenta contrapartida para 10,50 euros

Parece-me que dificilmente a Portugal Telecom conseguirá evitar a sua aquisição por parte da Sonaecom. Ainda bem, porque quase todos os serviços que a Portugal Telecom presta hoje em dia de forma monopolistica funcionam mal... muito mal. Pelo menos, eu tenho muitas razões de queixa do serviço prestado quer pela TV Cabo, quer pela rede fixa telefónica da PT. Mas também resolvi-os em pouco tempo: mudei-me para a Cabovisão.

Lembro-me que quando fiz a cadeira de Análise Económica do Direito II, com o professor Nuno Garoupa, fiquei fascinado pela secção referente às Aquisições. Nomeadamente com o tipo de resposta que cada empresa pode levar a cabo face a uma situação de OPA hostil.

Gosto particularmente destas:
Pac-Man Defense - Quando uma empresa X sobre a qual é lançada a oferta de aquisição pela empresa Y, responde tentando adquirir a empresa Y.

Suicide Pill - Quando as poison pills adoptadas são tão drásticas que podem resultar em auto-destruição.
White Knight - Quando uma empresa Z amiga da empresa X que está a ser alvo de uma oferta de aquisição por parte da empresa Y decide ajudar a empresa X, entrando também na corrida pela aquisição da empresa X.
Killer Bees - É o nome que se dá às empresas, ou individuos, que são contratados pela empresa X, alvo de uma oferta de aquisição hostil por parte da empresa Y, para arranjarem formas de tornarem a empresa economicamente menos atractiva para a empresa Y.
E há tantos outros conceitos curiosos: Whitemail, Greenmail, Gray Knight, Golden Parachute, Crown Jewel Defense, Lobster Trap, Pension Parachute, Top-ups.
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 23:54
link do post | comentar

Pulp Fiction Post


As vencedoras dos Grammys.

Esta foto merece uma entrada directa para o top. Marisa Miller na Sports Illustraed Swimsuit Edition 2007.

Image Hosted by ImageShack.us

E já vi o The Prestige, que confirma Christopher Nolan como um dos grandes cineastas da nova vaga.

E a minha série favorita do momento é a série norte-americana Heroes.

Image Hosted by ImageShack.us

E porque agora apetece-me citar John Stuart Mill:

Sobre a Liberdade
II.Capitulo: Sobre a liberdade de pensamento e discussão (Página51)

Se todos os seres humanos, menos um, tivessem uma opinião, e apenas uma pessoa tivesse a opinião contrária, os restantes seres humanos teriam tanta justificação para silenciar essa pessoa como essa pessoa teria justificação para silenciar os restantes seres humanos, se tivesse poder para tal. Caso uma opinião constituísse um bem pessoal sem qualquer valor excepto para quem a tem, e se ser impedido de usufruir desse bem constituísse apenas um dano privado, faria alguma diferença se o dano estava a ser infligido apenas sobre algumas pessoas, ou sobre muitas. Mas o mal particular em silenciar a expressão de uma opinião é que constitui um roubo à humanidade; à posteridade, bem como à geração actual; àqueles que discordam da opinião, mais ainda do que àqueles que a sustentam. Se a opinião for correcta, ficarão privados da oportunidade de trocar erro por verdade; se estiver errada, perdem uma impressão mais clara e viva da verdade, produzida pela sua confrontação com o erro - o que constitui um beneficio quase igualmente grande.

E já agora, está a passar na RTP o programa sobre Aristides Sousa Mendes, um grande português, sem dúvida. Quanto mais não seja, porque mostrou que um único individuo com as suas acções pode influenciar a vida de centenas de pessoas de forma positiva.

E amanhã é outro dia, não tarda tou na cama... e não houve terramoto em Lisboa, embora os romenos tenham prometido... safa.

Boa Noite.
publicado por Jorge A. às 00:01
link do post | comentar
Quarta-feira, 14 de Fevereiro de 2007

Águia Triunfante


Porque há poucas coisas que representem tão bem a liberdade como um pássaro a voar no céu.
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 21:42
link do post | comentar

França

Diz o Pedro Arroja no Blasfémias:

A tradição cristã é uma tradição aberta à critica, frequentemente até ao insulto. [...] Os países que, na conjuntura actual, melhor representam estes activos da tradição cristã são, na minha opinião, países da Europa continental - e a França à frente de todos os outros. Por isso, eu sou um adepto de que a opinião pública internacional - e a europeia em particular -, se coloque fortemente por detrás da diplomacia e da política externa francesa. Porque, se o problema do Médio-Oriente fôr capaz de ter uma solução pacífica, e a ameaça nuclear sobre a humanidade puder ainda ser dissipada, a minha opinião é a de que a França será, muito provavelmente, o seu autor principal.
É essa mesma tradição de abertura à critica tão presente em França que leva ao surgimento do fenómeno Le Pen, à falta de apoio à globalização por parte da direita francesa, e à queima de carros todas as noites nos arredores de Paris por parte de marginalizados na sua maioria muçulmanos. Curioso será notar que Pedro Arroja também diz: "Pelo contrário, parece que na tradição judaica, quem ouse, vindo de fora, às vezes meramente invocar o seu nome - mais ainda se pretender questioná-la - corre o risco de ser recebido com uma barragem de acusações, invectivas e demonstrações de superioridade que tornam todo o diálogo impossível.". Demonstrações de superioridade que tornam todo o diálogo impossível, quase que julguei que estivesse a falar das demonstrações de superioridade moral que os franceses teimam em querer dar.
PS: e já agora, cada vez gosto mais do Carlos Abreu Amorim, um dos que mais põe em causa o estado geral de bovinidade.
Secções: , ,
publicado por Jorge A. às 01:02
link do post | comentar
Terça-feira, 13 de Fevereiro de 2007

Habeas Corpus

No Prós & Contras, colocou-se a hipótese dos 10 mil assinantes do Habeas Corpus que visava pedir a anulação da condenação do militar Luis Gomes, terem de pagar cada um cerca de 500 euros como custas judiciais. Parece que os juizes presentes na sala estavam quase todos de acordo. José Miguel Júdice foi o que falou sabiamente - como é óbvio se a lei fosse tomada à letra até podia ter de ser assim, mas tal facto seria um absurdo, pela que a lei não deve ser levada à letra. O juiz conselheiro que primeiro deu pelo problema, sorria, contente com o feito de demonstrar conhecer a lei que levaria a pena tão absurda. Pena é, que a justiça não seja só feita de sábios.
Não é preciso ir muito longe para constatar a falta de sabedoria e bom senso na nossa justiça. Fiquemos pelo caso do militar Luis Gomes. Qual o sentido da pena de 6 anos aplicada ao militar Luis Gomes, quando outros casos bem piores ou semelhantes não atingem, nem de perto, nem de longe, penas tão gravosas?
Mas vendo bem as coisas, 500€ x 10 000 = 5 000 000€. Desta forma, ainda se resolve o défice orçamental e mete-se a justiça como a maior fonte de receita do Estado... ou então, ainda acabamos é com a pouca e fraca justiça que já temos.
Secções: ,
publicado por Jorge A. às 00:39
link do post | comentar
Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2007

Sobre a liberdade


Acabadinho de comprar na FNAC do Algarve Shopping.

On Liberty escrito por John Stuar Mill é um livro que me falta ler. Em breve, terei essa lacuna colmatada.
publicado por Jorge A. às 14:24
link do post | comentar
Domingo, 11 de Fevereiro de 2007

SIM

Secções:
publicado por Jorge A. às 20:18
link do post | comentar
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Mais sobre mim

Contacto

jorgeassuncao@europe.com

Subscrever feeds

Pesquisar neste blog

Links

Add to Technorati Favorites

Arquivos

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Secções

desporto(383)

politica nacional(373)

cinema(291)

economia(191)

música(136)

ténis(132)

humor(131)

futebol(130)

eleições eua(118)

estados unidos(115)

portugal(115)

blogs(109)

miúdas giras(93)

jornalismo(88)

politica internacional(87)

governo(79)

televisão(74)

blogosfera(69)

oscares(68)

pessoal(55)

todas as tags

blogs SAPO

 

Twingly BlogRank